Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19 NO DETRAN

Detran paralisa atendimento em duas agências porque funcionários testam positivo para covid-19

Ambas as sucursais ficarão sete dias sem abrir e sem atendimento ao público; órgão remarcará os prejudicados
13/08/2020 18:30 - Rodrigo Almeida


Agência do Detran-MS localizada no Shopping Campo Grande deixa de atender a população a partir da tarde desta quinta-feira, 13. A informação está ligada ao fato de uma funcionária terceirizada que trabalha na agência ter testado positivo para a Covid-19. 

A sucursal ficará fechada por sete dias, de acordo com comunicado à imprensa. A medida é tomada com forma de prevenção à disseminação do novo coronavírus. 

Além disso, para evitar a procura, “os clientes serão orientados a realizar os serviços pelo novo Portal de Serviços – Meu Detran, e o que não for possível fazer online, serão direcionados para outras agências”, afirma a gerente-regional do Detran, Laiza Machado.

A gerente ainda ressalta que quem tinha documentos para retirar, poderão procurá-los na sede do Departamento, na saída de Rochedo. 

Em nota, o órgão afirma ter adotado agendamento prévio do atendimento presencial em abril,  a fim de evitar a aglomeração das agências e que segue todas as recomendações protocolares das autoridades de saúde. 

Inclusive, se algum servidor ou funcionário terceirizado seja infectado, ele será afastado em quarentena por 14 dias e terá o acompanhamento conforme orientado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), afirma a nota. 

Assim como a agência do Shopping Campo Grande, a sucursal de Aquidauana teve os atendimentos paralisados porque um servidor testou positivo. 

O Detran ainda informa que os principais serviços, como renovação de habilitação e emissão do documento do veículo, já estão sendo realizados através do novo portal – Meu Detran, evitando assim a necessidade de se deslocar as agências.

 

 

Felpuda


Candidato a prefeito em cidade do interior tremeu que só nas bases diante da decisão que tirou a corda do pescoço de adversário, liberando o dito-cujo para disputar a eleição.

Como acreditava que o pleito seria “um passeio”, estava até pensando no modelito que usaria no dia da posse.

Agora, teme nadar, nadar e morrer na beira da praia, deixando o terno pendurado no cabide.