Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ÁGUA SANITÁRIA

Dica: Proteção eficaz e barata contra pandemia

Dica: Proteção eficaz e barata contra pandemia
30/03/2020 11:33 - Da Redação


Solução diluída de água sanitária é alternativa na falta de álcool gel ou mesmo de água e sabão. 
 

Um roteiro simples, basicamente a diluição de uma pequena quantidade de água sanitária em água potável, elimina o novo coronavírus. O bacharel em Química Tecnológica e doutor em Ciência Jorge Macedo, especialista em desinfecção química e tratamento de águas e efluentes, detalha informações que integram “Technical Brief” da Organização Mundial de Saúde (OMS) lançado, neste mês, para auxiliar no enfrentamento à pandemia de coronavírus.

Baseado nessas orientações, Macedo, que é autor de 20 livros sobre diversos temas, dentre eles, a desinfecção e esterilização química, elaborou, com o apoio do Sistema CFQ/CRQs, um review em que traz roteiro simples para o emprego da água sanitária com eficácia e segurança. 

Apenas mudando a concentração, é possível dar diferentes usos ao produto. A única recomendação na hora de comprar a água sanitária é que o princípio de cloro ativo seja de 2% a 2,5%.

Usando como medida um copinho de café, de 50 ml, se utiliza metade dessa quantia, dissolvida em um litro d’água, para obter uma solução diluída capaz de eliminar o coronavírus da superfície de mesas, maçanetas, chaves, embalagens e produtos trazidos do supermercado, por exemplo.

Concentrações mais elevadas de água sanitária exigem luvas:

Se usado o mesmo copinho – desta vez cheio de água sanitária dissolvida também em um litro de água –, é possível eliminar o coronavírus em pisos, áreas abertas ou solas de sapato. Devido à concentração, se recomenda o uso de luvas no manuseio.

Nesse momento em que fica difícil encontrar álcool gel no mercado, e que boa parte da população não tem condições de adquiri-lo, Macedo faz o alerta que a receita mais diluída (a primeira indicada acima) pode também ser usada nas mãos, na falta de álcool gel ou água e sabão.

“Nesse caso, claro, a frequência de uso tem de ser menor porque, para algumas pessoas, a solução pode causar ressecamento nas mãos e dermatites. Mas quanto à segurança do procedimento não existem dúvidas”, afirma Macedo.

O especialista afirma ainda que, se usadas da maneira correta, as soluções de água sanitária são capazes de deixar o visitante indesejado do lado de fora das casas.

“Basicamente, temos como utilizá-las no pano umedecido, ou com borrifador, desses usados para molhar pequenos vasos de plantas”, assinala.

 

Fonte: Conselho Federal de Quimica.  http://cfq.org.br/

 

Clique aqui para visualizar

 

Felpuda


Pré-candidatos que em outras eras cumpriram mandato e hoje sonham em voltar a ter uma cadeira para chamar de sua estão se esmerando em apresentar suas folhas de trabalho. O esforço é grande para mostrar os serviços prestados, mas estão se esquecendo que a cidade cresceu, os problemas aumentaram e aquilo que já foi tido como grande benefício hoje não passa da mais simples obrigação diante do progresso e das novas exigências legais. Assim sendo...