Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANTANAL EM CHAMAS

Combate a dois grandes incêndios no Pantanal de Corumbá são reforçados

Região da Nhecolândia e da Serra do Amolar sofrem com as queimadas
07/08/2020 16:46 - Fábio Oruê


O Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul está operando em duas frentes no combate aos focos de calor no Pantanal: na Nhecolândia e na Serra do Amolar, ambas na região de Corumbá, onde é mantida uma equipe. 

Os oficiais têm o apoio logístico de dois helicópteros da Marinha, e deslocou 12 militares para reforçar a força-tarefa montada em Mato Grosso para acabar com grandes incêndios na região de Poconé. 

Em Corumbá é onde se concentra mais de 60% da área do Pantanal em Mato Grosso do Sul e os bombeiros priorizam um grande incêndio que está ocorrendo na região da Nhecolândia, a 46 km em linha reta da Curva do Leque (MS-228/MS-184), para onde foram deslocados quatro militares e nove brigadistas do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

A ação conta com o apoio de seis brigadistas voluntários das fazendas no entorno, as quais cederam maquinários para construção de aceiros.

Na coordenação das operações em Corumbá, o tenente-coronel bombeiro Frededick Caldeira informou que o comando da corporação está enviando mais 11 bombeiros para a região de modo a reforçar o combate na Nhecolândia e outros pontos, como no entorno do Porto da Manga, distrito situado às margens do Rio Paraguai e distante 60 km da cidade pela MS-228 (Estrada-Parque). Ele informou que houve um revezamento de homens à frente do fogo.

MATO GROSSO

No meio da semana, os bombeiros enviaram 12 oficiais para integrar a operação que foi montada na pousada SESC Pantanal, em Poconé (MT), com a tarefa de reforçar a equipe que está combatendo os focos de calor na Serra do Amolar. 

O deslocamento da operação para Mato Grosso é estratégico: reduz em 150 km em linha reta, em relação a Corumbá, a distância para se chegar ao Amolar, onde os incêndios ocorrem na margem esquerda do Rio Paraguai, em frente à serra.

“O fogo está nos cercando, na outra margem do rio, em frente ao Novos Dourados (RPPN), e temos agora o reforço dos peões e maquinários da Fazenda Palmital, onde 20 homens estão em ação do outro lado, no paredão da morraria”, informou Ângelo Rabelo, diretor do Instituto Homem Pantaneiro (IHP).

 
 

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...