Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

LEITOS

Dos 500 profissionais da saúde, maioria está afastada por Covid, diz prefeito

Contratações fora do quadro permanente da prefeitura foram feitas devido a pandemia
16/07/2020 14:24 - Daiany Albuquerque


A prefeitura de Campo Grande precisou contratar cerca de 500 profissionais da saúde, segundo o prefeito Marcos Trad (PSD), para atendimento a pacientes da Covid-19. Entretanto, ainda conforme o administrador, a maior parte desses profissionais está afastada com suspeita de ter contraído a doença.

Em transmissão por suas redes sociais, o prefeito declarou que a cidade tem dificuldade em abrir novos leitos por falta de profissionais da saúde, já que alguns deles estão doentes.

“Não é apenas comprar o respirador, isso a gente compra, a questão é estruturar o local com recursos humanos. Cada leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) a gente precisa de dois médicos intensivistas, nós precisamos de enfermeiros, técnicos de enfermagem. Nós já trouxemos mais de 500 fora do nosso quadro, hoje a maioria desses 500 está afastada pela suspeita da Covid-19, não está tendo mais material humano para cuidar dessas pessoas”, declarou.

De acordo com dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Campo Grande contabiliza 1.194 profissionais da saúde que contraíram o novo coronavírus, sendo que 900 já estão recuperados. Os outros 294 seguem em tratamento médico ou isolamento domiciliar. Ao todo, 3.373 servidores deste seguimento foram testados na Capital.

Ainda conforme Trad, a cidade passou de 108 UTIs para 241 e ainda há a previsão para implantação de outras 45 vagas, totalizando 286 leitos intensivos na Capital. “A gente vai ter até condições de comprar o leito, arrumar tudo, mas não vai ter as pessoas para cuidar do paciente. Por isso, não é apenas comprar o leito”.

 
 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...