Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CONTÁGIO ACELERADO

Dourados deveria estar com restrições mais severas

Programa indica que o município e sua macrorregião estão sob alto risco
01/07/2020 09:00 - Daiany Albuquerque


 

Considerada o epicentro do novo coronavírus em Mato Grosso do Sul, a cidade de Dourados, a 229 quilômetros de Campo Grande, e toda a sua macrorregião, composta de 33 municípios, já deveriam estar com restrições severas em virtude do avanço da Covid-19.

A indicação é do programa Prosseguir, lançado nesta terça-feira (30) pelo governo do Estado.  

Conforme a plataforma, que cruza dados da saúde com a atividade econômica, apenas os serviços considerados essenciais e os de baixo risco deveriam estar em atividade na cidade.

Entretanto, até a tarde de ontem, a única atividade que Dourados restringiu foi a de templos religiosos.  

O comércio, sem exceção, está aberto, com horário reduzido. O município decretou a obrigatoriedade do uso de máscaras e medidas de biossegurança.

A cidade, que tem quase um quarto do total de habitantes da Capital, contabiliza mais casos confirmados e mais do que o dobro de mortes.  

Até ontem, eram 2.536 casos confirmados e 23 mortes, enquanto Campo Grande tinha 2.168 casos e 9 óbitos.

De acordo com o governo, a classificação do risco das atividades segue a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (Cnae), do governo federal. Nela, são levados em consideração fatores como o contato entre as pessoas, a possibilidade de aglomeração e a rede de relacionamento entre as atividades.

Em relação aos indicadores de saúde, que são obtidos de acordo com a nota de 10 perguntas relacionadas ao avanço do novo coronavírus, Dourados tem apenas 4,86 de pontuação, que o coloca em alto risco referente à pandemia.  

Além da cidade, toda a sua macrorregião também tem essa classificação, já que ela é a base para o sistema de saúde dos demais municípios de seu entorno.

“A restrição deve ser aplicada pelos municípios para proteger aquilo que é nosso principal foco, que é a preservação de vida das pessoas. Isso deve ser seguido se a gente não quiser chegar a uma situação dramática, de fechamento geral”, declarou o secretário estadual de Governo, Eduardo Riedel, durante apresentação da plataforma.

Conforme a secretária de Saúde de Dourados, Berenice Machado, o comitê municipal de enfrentamento da doença estava reunido para avaliar os dados do Prosseguir. “A prefeita vai tomar as decisões baseada na orientação do comitê dos técnicos de Dourados. Os de fora não têm conhecimento sobre o que acontece aqui”, declarou.

OUTROS

Além de Dourados, outros municípios de Mato Grosso do Sul fazem parte do grupo de alto risco estabelecido pela plataforma. O pior índice de Mato Grosso do Sul, conforme dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) analisados até sábado (27), é de Sidrolândia, com pontuação de 2,96. Depois, vêm Itaquiraí, com 3,06, e Coronel Sapucaia, com 3,16.

A melhor pontuação no Estado foi de Água Clara, que conseguiu 6,84.  

Novo Horizonte do Sul e Tacuru estão com a mesma classificação, a segunda maior, 6,66. As três cidades estão na classificação moderada, que permite a abertura de estabelecimentos com risco médio.

Esta também é a situação de Campo Grande, que apresenta 5,16 de pontuação, mas que está muito próximo do grupo de alto risco.  

Segundo o prefeito Marcos Trad (PSD), todos os dados apresentados pelo Prosseguir serão analisados criteriosamente.

“Quaisquer informações novas serão bem-vindas, ninguém é dono da verdade, principalmente sobre o momento em que vivemos, com um vírus desconhecido, e estamos aprendendo em todos os sentidos. Esses dados vêm para nos auxiliar”, declarou o prefeito. Perguntado se decretaria lockdown caso fosse o indicativo da plataforma, Trad disse que “pode errar pelo excesso, e não por omissão”.  

“Vamos decidir com equilíbrio entre vidas e empregos, dando destaque e preferência à vida”. Porém, o prefeito disse que, por enquanto, as atividades flexibilizadas seriam restritas novamente. “Estão funcionando há muito tempo e não é fator de contribuição para aumento. É um conjunto, desdo o clima até o crescimento do interior”.

O Estado tem, hoje, 7.965 casos do novo coronavírus e 82 pessoas morreram em função da doença.  

Para o secretário de Governo, os indicadores ajudarão cada município a tomar suas medidas conforme a necessidade. “Mato Grosso do Sul tem nove municípios que não registraram nenhum caso de Covid-19 e tem município extremamente grave em relação à doença, e isso deve ser tratado desta maneira, caso a caso, dia a dia, com medidas extremamente enérgicas”.

MORTES ESTÃO AUMENTANDO

Foram confirmadas oito mortes em decorrência da doença em Mato Grosso do Sul apenas nesta terça-feira (30). Foram dois óbitos em Itaquiraí e um em Campo Grande, Dourados, Fátima do Sul, Amambai, Corumbá e Ponta Porã. Com isso, o Estado chega à sua 83ª vítima do novo coronavírus.

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.