Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Dourados registra mais uma morte por Covid-19; 62º de MS

Cidade já tem 17 óbitos pela doença e 2.247 casos confirmados da doença
25/06/2020 17:39 - Daiany Albuquerque


 

Dourados registrou nesta quinta-feira (25) mais uma morte por Covid-19, a 17ª da cidade e a 62ª de Mato Grosso do Sul. Desta vez o caso é de um senhor de 64 anos, que estava internado no Hospital Universitário da cidade, gerido pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), a vítima estava hospitalizado desde o dia 13 de junho, quando o caso foi notificado como sendo de Covid-19.

A morte ocorreu na manhã desta quinta-feira, no hospital, com isso, Dourados chega a marca de 17 mortes pela doença, o dobro do que já foi registrado até agora em Campo Grande, capital do estado e com uma população cerca de quatro vezes maior.

O município é o epicentro da doença em Mato Grosso do Sul, com 2.247 episódios, segundo dados do boletim epidemiológico divulgado hoje pela SES. Além disso, a cidade ainda tem 1.374 casos suspeitos do novo coronavírus.

A região onde a cidade está localizada, inclusive, é responsável por 50% das mortes confirmadas em todo o Estado. Das 62 registradas até agora, 31 ocorreram na microrregião de Dourados (2 em Vicentina – sendo que um faleceu no Estado de São Paulo –; 17 em Dourados – sendo 1 douradense que morreu em Tocantins –; 3 em Itaporã; 1 em Iguatemi; 2 em Rio Brilhante; 1 em Douradina; 1 em Deodápolis; 1 em Itaquirai; 1 em Glória de Dourados; 1 em Naviraí; e 1 em Fátima do Sul).

As outras mortes em Mato Grosso do Sul foram: 8 em Campo Grande, 5 em Três Lagoas, 2 em Batayporã, 2 em Paranaíba, 2 óbitos de Brasilândia, 1 em Sidrolândia, 2 em Ponta Porã, 6 em Corumbá, 1 em Anastácio e 2 em Guia Lopes da Laguna.

 

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!