Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PREPARAÇÃO

Educação monta “esquema de guerra” para volta às aulas

Secretaria promete kit de proteção a alunos quando ocorrer o retorno presencial
26/06/2020 09:00 - Daiany Albuquerque


A suspensão das aulas presenciais da rede pública de Mato Grosso do Sul, tanto a municipal quanto a estadual, será prorrogada até o fim de julho, mas sem a certeza de que elas serão retomadas em agosto. Porém, tanto a prefeitura da Capital e o governo já trabalham em planos para essa retomada, com verdadeiro “esquema de guerra” contra a doença.

Segundo o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), durante vídeo publicado nas redes sociais da administração, a Rede Estadual de Ensino (REE) promete que, quando houver o retorno, cada aluno terá seu próprio kit de equipamento de proteção individual (EPI). O Estado tem hoje 210 mil estudantes matriculados nas 345 unidades escolares.

“Não é possível hoje a gente retornar às aulas presenciais, as equipes de saúde mostram claramente isso, principalmente com esse aumento exponencial que tivemos nas últimas semanas. Nós estamos criando alguns protocolos por meio da Saúde e da Educação para podermos fazer uma aula mais remota, com menos alunos em sala, com turnos alternados. Todo esse estudo está sendo feito e todos os equipamentos de proteção aos alunos, como máscaras e álcool, estão sendo comprados para quando ocorrer o retorno eles terem seu kit de proteção individual para proteger tantos eles quanto os profissionais da educação”, disse.

As aulas na rede estadual estão suspensas desde o dia 23 de março, por conta da pandemia. Conforme a Secretaria de Estado de Educação (SED), até o momento, já foram adquiridas 130 mil máscaras, com investimento de R$ 218 mil, e há previsão de mais compras. A pasta também vai adquirir outros itens que compõem os EPIs para os estudantes e professores. As aulas presenciais na REE estão paralisadas até o dia 30 deste mês, mas o governador adiantou que no Diário Oficial de hoje deverá sair decreto com a nova data.

A secretaria também informou que o plano que está sendo montado encontra-se adiantado e deverá ser lançado em breve. Além das medidas de biossegurança, a secretaria dividiu o documento em duas etapas: a organização dos ambientes físicos e a análise qualitativa de participação dos estudantes.

O primeiro item visa avaliar as escolas para saber se elas têm condições estruturais para abrigar os alunos e funcionários, respeitando as normas de distanciamento.

Já o segundo ponto quer saber como tem sido a aprendizagem desses alunos durante a pandemia e saber quais deles necessitarão de recuperação paralela às aulas para que não tenham o aprendizado prejudicado.

Levantamento da secretaria mostrou que 91% dos alunos da REE estão sendo atendidos pelas aulas remotas (alguns estudam integralmente pela internet e outros também utilizam o material de apoio). Outros 7% estudam apenas com o material impresso fornecido pelas escolas e 2% não conseguiram ser atendidos por nenhuma das formas.

A DISTÂNCIA

Por conta da pandemia, as aulas nas redes pública e privada têm sido administradas por videoaulas, que podem ser assistidas tanto pela internet como pela televisão. “Até o fim de julho, é muito prudente manter essas aulas por vídeo, pelos meios de mídia digital e pela televisão”, disse o governador.

Para a categoria, esse plano precisa ser montado também com o apoio dos servidores e dos alunos. “Queremos participar do debate e não estamos sendo ouvidos, é importante que ouçam os demais segmentos. Essa é a nossa preocupação maior, que o governo e a prefeitura não discutam diretrizes sem ouvir professores e também alunos, porque debatendo se chega a medidas mais seguras para tudo mundo. Estamos à disposição para debater, não somos inimigos de ninguém”, declarou o presidente do Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública, Lucílio Nobre.

Além da extensão das aulas remotas na rede estadual, decreto a ser publicado hoje também deverá conter uma recomendação para que as escolas particulares de Mato Grosso do Sul também permaneçam fechadas pelo mesmo período. A informação foi dada pelo governador Reinaldo Azambuja.

Município vai definir outra estrutura

Em Campo Grande, decreto da prefeitura estabelecia aulas remotas até o fim deste mês, mas, como o prefeito Marcos Trad antecipou na quarta-feira, elas serão prorrogadas por mais 30 dias, assim como no Estado.

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) também prepara um plano de biossegurança para a retomada das aulas em sua  rede de ensino.  

Conforme a titular da pasta, Elza Fernandes Ortelhado, está sendo criada uma comissão com vários órgãos, para dar prosseguimento ao plano.

Haverá integrantes da Secretaria de Educação, Saúde, Semadur [Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana], Gestão, Finanças e do Legislativo, com membros da Comissão de Educação da Câmara. “Todas essas pessoas vão montar um plano muito bem elaborado para quando houver essa volta, mas ainda não há data para que isso aconteça”, contou.  

A secretária afirmou que somente com o plano pronto é que a pasta poderá definir quais itens serão adquiridos e quais mudanças estruturais precisarão ser feitas. “Mas é claro que tem coisa que já sabemos que precisamos comprar, como EPIs e álcool, mas não tem licitação em andamento ainda”, completou. 

 

 
 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.