Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

AJUDA

Governo autoriza envio da Força Nacional para ajudar no combate às queimadas em Mato Grosso do Sul

Efetivo vai ajudar a combater incêndios no Pantanal sul-mato-grossense
05/10/2020 09:46 - Carol Alencar Cozzatti


Mato Grosso do Sul receberá reforço no combate às queimadas. A Força Nacional de Segurança Pública virá ao Estado para auxiliar nas ações de combate aos incêndios e queimadas no Pantanal.

A confirmação foi publicada nesta segunda-feira (05) no Diário Oficial da União (DOU) e a medida vale por 30 dias, de 04 de outubro a 02 de novembro, podendo ser prorrogada, se necessário.

De acordo com portaria assinada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, o efetivo poderá atuar em atividades de defesa civil em defesa do meio ambiente e nos “serviços imprescindíveis à preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio”.

Equipamentos

Mais de 40 bombeiros da Força Nacional de Segurança Pública já atuam desde o dia 24 de setembro na região pantaneira, na divisa entre Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

O envio da Força Nacional atende a pedido do governador do estado, Reinaldo Azambuja. Além do efetivo, doze viaturas também auxiliam no combate às queimadas.  Além do apoio no combate aos incêndios florestais, o efetivo mobilizado realizou assistência humanitária às famílias ribeirinhas à margem do Rio Paraguai. Elas tiveram suas residências atingidas pelo fogo.

Os militares estão atuando em localidades da região do Pantanal, além de auxiliar na contenção em propriedades particulares e de áreas de preservação ambiental. Eles estão apoiando, também, o trabalho no posto de atendimento de emergência a animais silvestres, juntamente com Defesa Civil, Polícia Ambiental, voluntários, biólogos e médicos veterinários.

Com Agência Brasil

 
 

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!