Clique aqui e veja as últimas notícias!

ALERTA

Em 2020, Hemosul recebeu 5 mil bolsas de sangue a menos que no ano passado

Mesmo com campanha, o hemocentro registrou baixa significativa no número de doações
31/12/2020 09:15 - Beatriz Magalhães


O resumo de 2020 gira em torno da pandemia de Covid-19. Desde março, só se fala das crises geradas pela doença, que matou milhares de brasileiros e muitos sul-mato-grossenses. 

Entre as crises provocadas pelo novo coronavírus, está a coleta de sangue. 

Em Campo Grande, o hemocentro coordenador registrou uma queda de 10% nas doações neste ano e por várias vezes anunciou estado de emergência.

Últimas Notícias

Em 2019, entre janeiro e novembro, o Hemocentro Coordenador de Mato Grosso do Sul coletou 53.753 bolsas de sangue, enquanto no mesmo período deste ano o número de bolsas coletadas foi de 48.508.

 Foram 5.245 bolsas a menos em 2020. Os dados são do Hemosul.

Com a chegada do fim do ano, existe naturalmente uma diminuição nas doações, isso porque muitas pessoas viajam ou se ocupam com as festividades. 

Em 2020, esse período pode ser até pior que o do ano passado.  

“O movimento diminuiu bastante por conta da pandemia, e agora, durante as festas, estamos sentindo bastante a falta do doador”, afirma a coordenadora do Hemosul, Marli Vavas.  

Para incentivar a doação neste ano atípico, uma campanha foi realizada em Campo Grande, com a meta de arrecadar cinco mil bolsas de sangue. 

O Monumento das Araras, na Praça União, amanheceu todo branco em um dia de agosto, mas com as doações foi ganhando cor novamente.  

Mesmo com a campanha, que atingiu a meta com êxito, o Hemosul sofreu com a falta de doações, isso porque o sangue doado tem uma validade que varia de 35 a 42 dias. 

“O sangue tem uma validade curta: dependendo da bolsa, a duração é de 35 ou 42 dias. Por isso é preciso um número equilibrado de doações, para que não sobre e nem falte bolsas de sangue”, explica a coordenadora.