Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Em 23 dias, Cassems já atendeu mais de 5 mil pessoas por conta do coronavírus

Desse número, porém, apenas dois casos tiveram o exame confirmados para a doença
24/03/2020 10:15 - Daiany Albuquerque


 

Do início deste mês até a segunda-feira (23) a Caixa de Assistência dos Servidores de Mato Grosso do Sul (Cassems) atendeu 5.478 pessoas que suspeitavam estar com Covid-19, o novo coronavírus. Desse número, porém, apenas duas pessoas foram confirmadas com a doença em Campo Grande.

De acordo com balanço do hospital, dos atendimentos, 3.711 eram adultos e 1.767 foram crianças. “Os casos confirmados foram devidamente notificados às autoridades de saúde pública”, diz nota da instituição.

“Esclarecemos que pelo menos 80% dos casos que buscaram o Pronto Atendimento do Hospital Cassems de Campo Grande apresentam sintomas de doenças como dengue e resfriados comuns, sendo poucos os casos que, no momento, estão sendo enquadrados nos critérios adotados pelo Ministério da Saúde para o Covid-19. Ressaltamos ainda, que as notificações necessárias são prontamente realizadas junto às autoridades sanitárias, como determinam os protocolos nacionais e internacionais”, afirmou o centro médico.

Atualmente Mato Grosso do Sul tem 21 casos confirmados do novo coronavírus, sendo 19 em Campo Grande, um em Sidrolândia e outro em Ponta Porã, de acordo com boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Até o momento, 70 pessoas ainda são consideradas casos suspeitos e 198 foram descartados. Nenhuma morte pela doença foi registrada até o momento.

Declarado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como pandemia, o Covid-19 já vitimou 34 pessoas no Brasil, sendo 30 em São Paulo e quatro no Rio de Janeiro. O país já confirmou quase 2 mil casos da doença.

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.