Cidades

Cidades

A+ A-

Em Maracaju, colônia de holandeses festeja vitória

Em Maracaju, colônia de holandeses festeja vitória

Redação

03/07/2010 - 00h14
Continue lendo...

Silvia Tada | enviada especial a Maracaju

Hup Holland Hup! As palavras entusiasmadas de “Viva” marcaram a festa da vitória da Holanda sobre o Brasil, ontem, em uma residência do Bairro Alto Maracaju, em Maracaju, município a 160 quilômetros de Campo Grande. Das 30 famílias imigrantes e descendentes, que formam a maior colônia de holandeses em Mato Grosso do Sul, representantes de três delas – os Bouwman, os Knibbe e os Spekken – assistiram à partida juntos e vibraram com a classificação do time europeu para a semifinal.
De acordo com Gerrit Hendrik Bouwman, de 64 anos, conhecido como Henrique Holandês, nos quatro primeiro jogos da Laranja Mecânica, não houve mobilização para assistirem juntos à partida. No entanto, como o jogo de ontem era contra o Brasil, decidiram se unir. “Mas, na verdade, qualquer um que ganhar nos deixa feliz. Somos brasileiros, com sangue holandês”, comentou, antes do início da partida. A casa da família Spekken mostrava a paixão dividida: a bandeira do Brasil de um lado e da Holanda, do outro.
Os palpites eram diversos. Para o irmão de Gerrit, Willem Bouwman, de 66 anos o Guilherme Holandês, o jogo seria 2x1, “não sei para quem, mas acho que o Brasil tem mais jogo”. Quando os dois times entraram em campo, todos se acomodaram em frente à televisão e os momentos de tensão se alternaram.
Vestidos a caráter, com roupas laranjas e acessórios como chapéus, plumas e cornetas, o animado grupo viu com resignação Robinho marcar o primeiro e único gol do Brasil. Ainda assim, a esperança de virar o jogo persistia e cada aproximação dos holandeses do gol de Júlio César era acompanhada por palavras de incentivo.

2º tempo
Enquanto cinco holandeses de nascimento assistiam ao jogo na sala, filhos, genros, noras e netos torciam para o Brasil, na varanda da casa e no escritório da família, localizado do outro lado da rua. “Estou com a camisa da Holanda, mas torço para o Brasil. Coloquei verde nos pés, nos brincos”, afirmou Juliana Spekken, nora de Carla e Simon Spekken. O pequeno Lucas, de 1 ano e três meses, neto de holandesa e de francês, exibia uma camiseta laranja e uma bandana nas cores verde e amarelo.
A alegria tomou conta dos pais com o primeiro gol da Holanda. “Agora o jogo fica bom, mais equilibrado”, comentou Carla Spekken. Minutos depois, a vibração foi ainda maior com o gol de Sneijder. Tensos, acompanharam o fim da partida. “Faltam oito minutos....”, dizia Guilherme, em contagem regressiva para o apito final. “Será que o juiz vai dar acréscimo?”, completava. Com alívio e alegria, viram a seleção holandesa eliminar o Brasil.
Apesar da torcida contrária, os maracajuenses holandeses afirmaram que a convivência com os brasileiros é pacífica. “Não há provocações. Todas as copas, penduro a bandeira do Brasil, a da Holanda e da França, já que meu marido era francês. Todos os vizinhos estão acostumados. Cada um que vai sendo eliminado, retiro o pavilhão”, contou Adriana Knibbe, de 62 anos. Hoje, na casa da orgulhosa holandesa, tremula apenas a bandeira nas cores vermelha, branca e azul.

Alarmante!

MS registra duas mortes por síndrome respiratória, totalizando 141 óbitos em 2024

Segundo os dados, houve um aumento de 267 casos na última semana.

24/04/2024 17h47

Foto: Arquivo/

Continue Lendo...

Nesta semana foram registradas duas mortes por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) em Mato Grosso do Sul. De acordo com o boletim divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) de hoje (24), até o momento foram  registrados 141 óbitos da doença somente em 2024. 

Segundo o levantamento da SAS, foram contabilizados 1741 casos de SRAG. Os números representam uma queda acentuada em comparação ao último relatório. No entanto, a secretaria relata que os números podem aumentar devido à sazonalidade da doença. Os casos podem subir nas próximas semanas.

Na última semana, foram 1.650 casos de SRAG confirmados em Mato Grosso do sul, com 139 mortes pela doença. Há duas semanas, eram 1.383 casos, com 121 mortes, ou seja, houve um salto de 267 casos a mais de uma semana para a outra

A cidade com maior caso da doença é Campo Grande, com 857 casos registrados, com 61 mortes. A letalidade da doença na capital de Mato Grosso do Sul é de 7,1%. 

Logo mais abaixo Corumbá com 127 casos, seguidos por Ponta Porã com 80 casos e Dourados 67 registros. 


Causadores da síndrome SRAG 

Conforme os especialistas, os causadores do SRAG são os SARS-CoV-2, vírus da família dos coronavírus, responsáveis por 43,2% dos diagnósticos. Logo atrás vem o rinovírus, com 25,9% dos casos, e o vírus sincicial respiratório, com 17,7% dos casos. Os demais casos de doenças respiratórias se dividem entre diferentes tipos de Influenza e outros vírus.

 

 Assine o Correio do Estado.

Cidades

Mato Grosso do Sul volta a zerar número de mortes por Covid-19

Apenas 29 casos foram registrados na última semana

24/04/2024 17h40

Reprodução

Continue Lendo...

Nenhum óbito em decorrência da Covid-19 foi registrado nos últimos sete dias em Mato Grosso do Sul, segundo o Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES), divulgado semanalmente. Os números foram zerados pela segunda vez no ano, já que na semana terminada em 14 de fevereiro também não foi notificada nenhuma morte.

Além das mortes zeradas, outro dado chama a atenção: apenas 29 casos foram confirmados no período.

Desde o início do ano, 61 pessoas morreram de Covid-19 em Mato Grosso do Sul, e 9.013 casos foram confirmados.

Sintomas da Covid-19

É possível que o cidadão esteja infectado com o vírus da Covid-19 caso apresente os seguintes sintomas:

  • Febre
  • Tosse seca
  • Perda do olfato
  • Perda do paladar
  • Falta de ar
  • Dificuldade para respirar
  • Dor ou pressão do peito

Transmissão

O meio de transmissão da Covid-19 se dá por inalação ou contato com gotículas de saliva, secreções respiratórias ou superfícies contaminadas. Portanto, a transmissão pode ocorrer por meio de:

  • Tosse
  • Espirro
  • Catarro
  • Apertos de mão
  • Contato pessoal próximo
  • Contato com objetos contaminados

Prevenção

Existem inúmeras formas de se prevenir o contágio e proliferação da Covid-19. Confira:

  • Vacinação contra Covid-19
  • Uso de máscara
  • Uso de álcool gel
  • Lavagem das mãos com água e sabão
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca
  • Não compartilhar objetos pessoais
  • Ventilar ambientes
  • Evitar aglomerações e espaços fechados

Assine o Correio do Estado. 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).