Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

ESCOLAS PARTICULARES

Em reunião, prefeitura e Ministério Público não definem retorno às aulas

Representante das instituições privadas prioriza segurança
21/05/2020 08:48 - Gabrielle Tavares


 

Aulas em escolas particulares não devem voltar às aulas por enquanto. As instituições temem prejuízo, mas reconhecem que o mais seguro é voltar “passando o pico da pandemia”, como relatou Erika Karla, representante das escolas particulares em reunião entre o prefeito Marcos Trad (PSD) e procuradores do Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS), realizada ontem (20).

“Queremos voltar sim, afinal, a saúde financeira da escola precisa. Mas voltar com segurança. Pontuamos que para as escolas maiores, que têm 800 ou 1.000 alunos, a preocupação e o problema são muito maiores, não queremos correr o risco”, pontuou Erika Karla.

A reunião foi demanda do prefeito da Capital em busca de alternativas para volta às aulas em meio a pandemia, mas “foi ponderado pelo Ministério Público Estadual que a decisão é do Gestor Público, ressaltando a necessidade de que qualquer que venha a ser tomada, seja embasada em opinião de técnicos da saúde”, declarou a Promotora de Justiça Ana Cristina Carneiro Dias.

O prefeito afirmou que não quer “matar a economia, mas também não quer afrouxar a pandemia”, e disse que busca um meio termo entre os dois. “Esse é o ponto que buscamos, e vamos apresentar à Força-Tarefa do Ministério Público do Estado, utilizando essa parceria oferecida”, concluiu.

Foi sugerido que a situação fosse estudada em parceria com os técnicos da Secretaria de Saúde do Município. E o Presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal, Valdir Gomes (PSD) disse que vai discutir a questão com outros vereadores, “não podemos ser imaturos de resolver tão logo”, relatou.

 

Felpuda


Ex-petista de quatro costados, que acabou se aboletando em outro partido já há algum tempo, decidiu se submeter mais uma vez às urnas na tentativa de voltar a comandar cidade do interior de Mato Grosso do Sul. O eleitorado não botou fé e decidiu reeleger o atual prefeito.

Agora, há quem diga que o dito-cujo, que é fã de Carnaval, já pode ir preparando sua fantasia: “palhaço das perdidas ilusões”. Ô maldade!