Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SAÚDE PÚBLICA

Empresa vai receber R$ 42,9 milhões para gerir hospital por cinco anos em Dourados

Contrato vai até 2025 e funcionará nos mesmos moldes do feito para o Hospital Regional de Ponta Porã
25/06/2020 11:52 - Nyelder Rodrigues


 

O Governo do Estado e o Instituto Mais Saúde fecharam contrato de cinco anos, no valor de R$ 42,9 milhões, para a operacionalização do Hospital Regional de Cirurgias da Grande Dourados - localizado em Dourados, no antigo prédio do Hospital São Luiz. Por mês, o valor contratualizado ficou em R$ 715.815,40.

A verba para o pagamento sairá dos cofres do Fundo Especial de Saúde, conforme publicado na edição desta quinta-feira (25) do Diário Oficial do Estado, e envolve desde questões como o gerenciamento e operacionalização, até a execução de ações e serviços de saúde ambulatoriais e hospitalares necessários na unidade.

Funcionando 24 horas por dia, o hospital está dentro da rede SUS (Sistema Único de Saúde). Antes do Instituto Mais Saúde, ele foi gerido pelo Instituto de Ação, Cidadania, Qualidade Urbana e Ambiental (Acqua), que foi oficialmente contratado em dezembro para gerenciar a unidade por seis meses, por R$ 4,2 milhões.

A Acqua é gestora também do Hospital Regional de Ponta Porã, entrando em 2019 no lugar do Instituto Gerir. A forma como é administrado o local é o mesmo da unidade douradense, com o governo repassando mensalmente a verba para o serviço - modelo semelhante a uma terceirização, mas feito com Organizações Sociais.

Além do Hospital Regional de Cirurgias da Grande Dourados, o Instituto Mais Saúde administra unidades de saúde nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Espirito Santo, sendo uma organização social de saúde sem fins lucrativos. O prédio onde o Hospital de Cirurgias funciona é locado pela Secretaria de Estado de Saúde.

Com 33 leitos, a unidade realizava até o ano passado a média de 208 cirurgias mensais em diversas especialidades, tendo corpo clínico com 50 médicos e mais 60 funcionários, incluindo nutricionista, assistente social, equipe de enfermagem e setor administrativo.  

O hospital foi criado para atender demandas de baixa e média complexidade, reduzir a fila de espera por esses procedimentos e evitar que pacientes tenham que se deslocar para Campo Grande para realizar cirurgias ortopédicas.

 
 

Hospital Regional em obras

Apesar dos nomes semelhantes, o Hospital Regional de Dourados é outra unidade, ainda não conclusa e de maior porte, que está sendo construída na saída para Ponta Porã. As obras ficaram paralisadas por um período, mas foram retomadas no mês passado, com cerca de 40 homens no canteiro de obras. A intenção é que cheguem a até 100 trabalhadores.

Sequer 10% do trabalho tinha sido feito ainda até maio, já que foi feito pedido aditivo de receitas pela construtora responsável pela obra. O prazo de entrega que antes era para junho de 2021, foi adiado para novembro de 2021.

A retomada dependia da aprovação do Ministério da Saúde, o que acabou acontecendo no mês de março. O valor do contrato inicial de R$ 25,6 milhões. Com os aditivos aprovados pelo ministério e Governo do Estado, o valor ficou em R$ 27,4 milhões.

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.