Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Contágio acelera e demanda por atendimentos aumenta

Estado chega a 2.853 casos e ainda investiga outros 2.179
12/06/2020 09:00 - Eduardo Miranda


 

As divulgação dos números da Covid-19 em Mato Grosso do Sul não surpreendeu as autoridades de saúde, mas mostrou à população que o alerta que vinha sendo feito há pelo menos duas semanas tornou-se realidade. Nesta quinta-feira, dia em que o número de novos casos de coronavírus chegou a 256, um recorde desta pandemia, outros dois dados mostram que os dias que virão poderão ser mais estressantes para os profissionais de saúde e de mais preocupação para os novos infectados: o Laboratório Central ainda analisa 2.179 casos suspeitos, e a ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva, que há dez dias era inferior a 10%, já é de 14%.

Em Campo Grande, o aumento da procura pela Central de Atendimento do Polo Ayrton Senna, no Bairro Aero Rancho, é outro fator que demonstra que mais gente na cidade tem apresentado os sintomas da doença. Desde o dia 24 de maio, quando 33 pessoas procuraram atendimento no local, o número de pessoas com febre, tosse seca, dor de garganta e dificuldade respiratória que procuraram o polo não para de aumentar. Na terça-feira (9), 84 pessoas passaram por lá, e ontem, quando o Correio do Estado esteve no local, os médicos atendiam dois pacientes, enquanto outros seis aguardavam.  

O aumento da demanda de atendimentos no Polo Ayrton Senna também explica os números da Capital. Os 126 diagnósticos positivos divulgados ontem ajudaram Mato Grosso do Sul a atingir seu dia com mais confirmações. A Capital tem agora 560 pessoas confirmadas com coronavírus. O município de Dourados, considerado o epicentro da Covid-19 no Estado, ficou atrás no período de 24 horas, com 93 novos casos, mas ainda ocupa a inglória primeira posição, com 849 casos.  

O secretário de Saúde, Geraldo Resende, reconhece o avanço do coronavírus em Mato Grosso do Sul e pede uma adesão maior às medidas de isolamento social da população de todo o Estado, com destaque para os que moram nas grandes cidades. “Não podemos deixar ir para o lixo tudo o que já conquistamos”, alerta.  

Para que a situação em Mato Grosso do Sul não saia do controle, a secretária-adjunta de Saúde, Christine Maymone, faz um apelo: “Não viajem e não recebam visitas nas suas casas neste feriado”. A Secretaria de Saúde registrou ontem a 25ª morte no Estado: um homem de 80 anos, de Rio Brilhante, hipertenso e diabético, que foi diagnosticado no dia 1º deste mês. Ele morreu em Dourados, onde estava internado.  

PREFEITO

O prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), fez questão de ressaltar que a grande maioria dos novos 126 casos confirmados na Capital (aumento de 29% em um único dia) é de pacientes já recuperados. “O mal já passou. A maioria destas pessoas que foram confirmadas hoje teve o vírus e já foi curada”, disse.  

Ele também frisa que a indisciplina da população com as recomendações de isolamento social aumentou. “No início, quando plantamos a obediência à ciência, colhemos números positivos. Agora, a gente vê nitidamente que as pessoas acreditam que o risco já passou e deixam de cumprir algumas regras de proteção”, comentou Trad, que disse que espera que a população se conscientize para não colher resultados negativos.  

No que diz respeito ao isolamento social, especialmente neste fim de semana, os bufês estão liberados para funcionar, ainda que com restrições. Desde abril, as medidas de flexibilização de funcionamento do comércio têm avançado. Ainda assim, Trad pondera que “a taxa de ocupação de leitos de UTI na Capital ainda é de pouco mais de 6%, menor do que a média do Estado”, afirma.  

AJUDA

Enquanto a ocupação dos leitos hospitalares aumenta e os casos de Covid-19 também, a ajuda chega do setor privado. Nesta semana, cinco carretas lotadas de equipamentos de proteção individual (EPIs) chegaram ao Estado. O material foi doado pelo Banco Itaú, que nacionalmente doou R$ 1 bilhão para o combate ao coronavírus. As doações do frigorífico JBS, dono das marcas Friboi e Seara, também começam a aparecer com mais força. Se antes elas se restringiam a veículos novos e EPIs, agora chegam na forma de leitos de UTI: 30 ao todo. Serão instalados no Hospital Regional (10), em Dourados (15) e em Naviraí (5).  

MENOR DO PAÍS

Apesar do avanço do coronavírus em Mato Grosso do Sul, quando comparado com o restante do Brasil, o Estado ainda apresenta números melhores do que qualquer outra unidade da Federação. Os 2.853 casos locais ainda estão bem distantes das 5.092 confirmações de Mato Grosso, o penúltimo colocado no ranking nacional, e dos 6.529 casos do Tocantins, o antepenúltimo. São Paulo está no topo da lista, com 162.520 casos.

 
 

Felpuda


Falatório e atitude de membro da família acenderam a luz vermelha no “QG” de candidato, pois poderão causar muitos estragos. 

A tropa de choque de defensores do candidato a prefeito já foi colocada em campo e só falta falar que os genes de ambos são diferentes. 

E com relação ao dito-cujo, sabe-se que deverá ser orientado a “baixar a bola” nos próximos dias, mais precisamente até o término da campanha eleitoral.

Afinal...