Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

Equipe da OPAS/OMS avalia plano de riscos e retomada de MS na pandemia

Comissão fica no Estado até o fim de semana e plano será divulgado após análise
10/06/2020 17:35 - Glaucea Vaccari


Uma equipe da Organização Pan-Americana da Saúde, braço regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) nas américas, está em Mato Grosso do Sul para avaliar plano de riscos e de retomada das atividades econômicas e sociais devido à pandemia do coronavírus. Informação é do secretário estadual de Governo, Eduardo Riedel.

Conforme disse o secretário, nesta quinta-feira (10) a equipe já se reuniu com comissões da Secretaria Estadual de Saúde (SES) e da Segov, e permanecerão até o fim de semana, para validar o plano, que está sendo discutido e aprofundado tecnicamente há cerca de um mês e meio.

“A Opas está aqui validando para que a gente tenha maior certeza e garantia, com todos os profissionais envolvidos, em relação ao que iremos propor nos próximos dias, como plano de risco e de retomada de todas as nossas ações, no sentido de ter o MS mais seguro, mais precavido, e com a melhor passagem possível diante de toda essa situação de pandemia”, disse Riedel.

Ainda segundo o secretário, o plano que será divulgado foi elaborado tecnicamente em todas as vertentes: médica, de contaminação, de infectologia e econômica com todas as suas abordagens.

Atualmente, o Estado já tem o Comitê Gestor do Plano de Retomada Pós-Crise da Covid-19, instituído pelo Governo do Estado para  garantir que todos os estabelecimentos e setores vão continuar atuando dentro dos protocolos de segurança estabelecidos, para garantir a segurança da população.

 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.