Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CONSCIENTIZAÇÃO

Obesidade infantil: especialista alerta sobre alimentação das crianças na quarentena

Tem dificuldade? confira dicas importantes para reeducação alimentar das crianças
05/06/2020 13:00 - Bruna Aquino


Com as crianças em casa sem aulas e sem atividades para gastar a energia por conta da pandemia do novo coronavírus, os pais vêm enfrentando dificuldades para manter a boa alimentação dos pequenos nos últimos meses e muitos lidando até com problemas  de obesidade precoce. 

Hoje, a obesidade infantil é considerada um mal mundial que está aliada não só por fatores genéticos, responsáveis por 70% das causas, mas também com estilo de vida das crianças que neste ano estão diferentes.  As telas dos smartphones e os videogames, aliados a outros fatores contribuem para que a obesidade infantil atinja patamares assustadores que pode gerar resultados ruins pós-pandemia, segundo especialistas. 

Segundo dados divulgados pela Organização Internacional World Obesity, atualmente cerca de 158 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 19 anos convivem com o excesso de peso, e esse número deve aumentar para 254 milhões em 2030 em todo o mundo.

O Dia da Conscientização Contra a Obesidade Mórbida Infantil, foi celebrado no último 3 de junho, e todos os anos pretendem alertar sobre os riscos da doença e os cuidados necessários para combater esse mal, que afeta milhares de crianças.

Para a nutricionista Bruna Martins, o principal fator da obesidade está no descontrole na ingestão da comida, mas outros fatores podem estar por trás do problema que muitas vezes começa ainda quando bebê. 

“Muitas crianças consomem alimentos inadequados para sua idade, como o açúcar, que não deve ser oferecido antes dos 2 anos. Mas o que mais vemos é o oferecimento de doces, frituras, produtos industrializados, refrigerantes entre outros. Então a preocupação deve ser maior, porque crianças com obesidade têm a saúde comprometida e correm risco de desenvolver doenças”, disse a especialista.

 
 

EXEMPLO COM OS FILHOS 

A nutricionista explica que a boa formação alimentar da criança bem como a continuidade dela  é de responsabilidade e exemplo dos pais na rotina diária. “As crianças precisam de uma referência, um modelo, ou seja, tudo aquilo que um adulto comer a criança também vai querer. O principal exemplo deve vir dos pais, muitos até gostariam que os filhos comessem mais verduras, frutas, alimentos saudáveis, mas, eles mesmos não comem. Quem faz as compras da casa e cozinha são os familiares, então, a criança deve se adaptar a rotina da casa e da alimentação, não o contrário. Quando os hábitos saudáveis são formados desde cedo, a alimentação adequada se torna muito mais fácil na vida adulta”, explicou. 

De acordo com a especialista, assim como os adultos, as crianças têm sinais de saciedade e muitas vezes os pais querem que o filho não levante da mesa até terminar o prato de comida. “A maioria das crianças quando saciadas não querem continuar comendo, então os pais não devem obrigar a criança a comer quando elas não querem. É fato que a criança irá sentir fome ao longo do dia, então quando o sinal de fome chegar ela irá comer novamente”, contou. 

DIFICULDADE
A operadora de caixa, Glayce Laura Amaral, de 26 anos, está passando um ‘perrengue’ na alimentação dos filhos Yan de 4 anos e Isaque de apenas 2 anos, que mesmo não estando acima do peso, dão um certo ‘trabalho’ no que diz respeito a alimentação saudável com a mudança repentina na rotina. 

“Aqui está difícil para fazer eles comerem principalmente comida. Sem aulas, eles estão acordando tarde, querem tomar leite e comer outras coisas que não seja comida, a gente oferece, mas mesmo assim comem bem pouco e mais tarde já estão com fome, mas a comida mesmo, não querem novamente”, explicou. 

Glayce contou a reportagem do Correio do Estado que está tentando mudar a alimentação, mas que, na verdade, até agora a única coisa que está fazendo é evitar dar guloseimas ou lanches perto do horário principal das refeições para tentar ajudar na rotina dos filhos. 

Para a nutricionista, quando a alimentação já é equilibrada, com alimentos saudáveis a quarentena não se torna um problema. Mas se a alimentação dos filhos é inadequada, pode ser que nesse período ela fique mais ainda prejudicada.

Confira abaixo, algumas dicas importantes para ajudar nesta quarentena:

— A mudança começa pela alimentação dos adultos

— Trabalhe em família em busca de uma alimentação mais balanceada. 

— Não é necessário excluir todos os alimentos, mas dar prioridade aos saudáveis.

— Criança precisa de rotina, inclusive na hora de comer

— Pais podem incluir os filhos nas compras e deixá-los responsáveis por pegar alguns alimentos da lista.

— Deixar frutas à disposição e ao alcance da criança. 

— Chame os filhos para a preparação dos alimentos na cozinha

— Ensine as crianças sobre os alimentos, assistindo vídeos que estimulam. 


*Com informações da Agência Brasil

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.