Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRATAMENTO COM PLASMA

Está curado da Covid-19? Saiba como doar seu sangue para estudo de tratamento do coronavírus

Estudo trabalha hipótese que plasma ajuda pacientes graves a desenvolver anticorpos
17/06/2020 15:43 - Fábio Oruê


Para ajudar no estudo que usa o plasma do sangue humano para tratamento de pessoas internadas com Covid-19, o Hemocentro Coordenador de Mato Grosso do Sul (Hemosul) lançou um canal exclusivo para agendamentos da doação de plasma. 

O número (67) 99212-0447, exclusivo para whatsapp, está disponível para os sul-mato-grossenses curados da Covid-19 que queiram participar dos estudos voltados ao tratamento de pacientes graves da doença.

De acordo com o Hemosul, podem doar plasma: homens e mulheres entre 18 e 80 anos; mulheres sem histórico de gestação; pesando no mínimo 60 kg; e somente 14 dias após estar curado e sem sintomas.

O primeiro a doar o sangue para o estudo foi o cantor Mariano, da dupla com Munhoz, na segunda-feira (15).

 
 

O estudo pretende avaliar o impacto da transfusão de plasma de pacientes recuperados (convalescente) da Covid-19 em pacientes com quadro clínico grave dessa doença e vai trabalhar com a hipótese de que a transfusão de plasma de doador convalescente poderá resultar em evolução clínica mais favorável e aumentar a taxa de sobrevida de indivíduos com acometimento grave pela doença.

Para testar a hipótese, serão tratados com plasma convalescente 40 pacientes com a forma grave da Covid-19 que terão seus desfechos comparados com grupo controle constituído de 80 pacientes com a mesma doença, com características e gravidade clínica semelhante. 

Cada paciente receberá uma dose aproximada de 10 ml/kg/dia de plasma convalescente (600 mL/dia para os adultos), por 3 dias consecutivos. Os participantes do estudo serão recrutados dentre os pacientes com infecção grave da Covid-19, tratados no Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap) e no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS).

 

Felpuda


Nos bastidores, conversas, ou melhor, quase sussurros, dão conta de que compromisso assumido teria prazo de validade se acontecer a vitória de aliado.

A partir de então, o papo passaria a ser bem, mas bem diferente mesmo, pois, com acordo cumprido, novos objetivos passariam a ser fonte dos desejos, e sem nenhuma moeda de troca.

No caso, não haveria mais sequer um fio de bigode. Tipo, cada um na sua.