Clique aqui e veja as últimas notícias!

VOLTA ÀS AULAS

Governo do Estado planeja comprar mais de 1 milhão de itens para aulas na Rede Estadual

Investimentos somam R$ 3,6 milhões de insumos para retorno das aulas nas 347 escolas estaduais em março
25/01/2021 08:50 - Ana Karla Flores


Governo de Mato Grosso do Sul planeja compra de 1,3 milhões de itens para garantir prevenção de contágio da Covid-19 em estudantes e profissionais de educação da Rede Estadual de Ensino (REE). 

Investimento será de 3,6 milhões para retorno das aulas, que têm previsão de início para março nas 347 escolas estaduais.

Últimas notícias

De acordo com a Secretaria de Estado de Educação (SED), o retorno das aulas nas 347 escolas da REE está previsto para março. O Governo de Mato Grosso do Sul também pretende retornar às aulas com o ensino híbrido para 2021, com aulas à distância e presenciais. A decisão definitiva será tomada entre as secretarias de educação e saúde.

Entre os itens adquiridos estão, termômetros, luvas, máscaras, borrifadores, álcool gel 70, dispenser em totem, e materiais de limpeza, tudo em grandes quantidades. Os materiais serão distribuídos nas unidades escolares dos 79 municípios do Estado.  

As escolas estaduais possuem cerca de 210 mil alunos em todo o Estado; 345 unidades em todos os 79 municípios; 16 mil docentes e 5 mil técnicos administrativos.

O material será utilizado na nova rotina escolar definida pelo Protocolo Volta às Aulas da Rede Estadual de Ensino (REE) elaborado por uma comissão composta por 21 instituições, e que prevê diversas medidas de biossegurança para o retorno das atividades presenciais.

Segundo o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, o retorno gradativo nas atividades da área de educação deve ocorrer assim como nos diversos setores, que começam a reabrir com a liberação do uso emergencial de vacinas contra a Covid-19 no Estado.  

“Desde o início da pandemia temos planejado e tomado decisões pautadas na ciência e na preservação de vidas. A liberação emergencial da vacina no Brasil nos permite dar um passo à frente, e começar a pensar na retomada gradativa das aulas presenciais, mas sem deixar de lado as medidas de prevenção”, explica.  

Protocolo de volta às aulas

O Governo de Mato Grosso do Sul lançou no dia 23 de novembro, o Protocolo de Volta às Aulas. O documento, elaborado por uma comissão composta por 21 instituições, propõe estratégias e procedimentos de retorno para as aulas presenciais.  

Segundo os protocolos de biossegurança, para as atividades presenciais, serão organizados horários para entrada e saída de estudantes, realizadas medidas de higienização constantes, aferição de temperatura, distribuição de cartazes informativos, uso de bebedouro só para encher garrafas e os alunos ficarão a uma distância mínima de 1,5 metro.  

O uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) será obrigatório e haverá distribuição dos materiais de higiene para as escolas.

Para retornar às aulas presenciais, os estudantes deverão estar no município de domicílio por mais de sete dias e cumprindo isolamento domiciliar voluntário. Os pais e responsáveis deverão ainda estar em alerta aos sinais das síndromes gripais e manter os filhos em casa, caso estejam sintomáticos.

Escolas municipais

Reunião entre o Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS), Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), Secretaria Municipal de Educação (Semed) e o Sindicato das Escolas Particulares (Sinepe), definiu que o retorno das escolas municipais será de forma remota. As aulas estão previstas para iniciarem no dia 8 de fevereiro.  

A Semed cogita adotar o ensino híbrido e adotar o retorno presencial em março, onde os alunos passarão a ter aulas online e, em seguida, irão às escolas para realizar algumas atividades. 

A Rede Municipal conta atualmente com 108.839 alunos, 7.441 profissionais da educação e 5.174 servidores administrativos.

A prefeitura de Campo Grande também elaborou um plano de biossegurança para o retorno presencial. Os alunos que não se sentirem seguros ou confortáveis, poderão continuar no ensino remoto. O documento traz uma série de determinações que devem ser seguidas pelas escolas, alunos, professores, pais e responsáveis.