Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

CONTRATO

Estado investe mais de R$ 1 milhão em projetos para construção de pontes

Quinze estruturas de concreto serão construídas sobre rios e córregos em rodovias do Estado
03/11/2020 09:16 - Glaucea Vaccari


Elaboração para projeto de construção de 14 pontes de concreto em rodovias de Mato Grosso do Sul e obra de uma estrutura entre Campo Grande e Jaraguari irá custar R$ 1.053.849,31.  

Extratos de contratos foram publicados na edição desta terça-feira (3) no Diário Oficial do Estado, pela Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul).

Entre Campo Grande e Jaraguari, ponte de concreto de 20 metros de comprimento será construída sobre o Córrego Ribeirão das Botas, na rodovia vicinal CG-150, no valor de R$ 726.097,52, sob responsabilidade da Belter Construções Ltda.

Seis pontes de concreto serão construídas ao longo da MS-345, no trecho do distrito de Águas de Miranda, em Bonito.

Estruturas serão feitas sobre o córrego Roncador, rio Taquarussu, Córrego Branco, Rio Bonito e sobre o Córrego Lajeado.

A Obra de Arte Engenharia Ltda foi contratada por R$ 133.766,56 para a elaboração do projeto executivo de engenharia para a construção das pontes.  

A mesma empresa irá elaborar projeto para construção de outras cinco estruturas de concreto na mesma rodovia, pelo valor de R$ 118.308,02.

Estas serão sobre o Vazante Nossa Senhora Aparecida, sobre o córrego Genipapo, rio Mimoso, vazante do rio Mimoso e córrego Saladeiro.

Por R$ 75.677,21, será feito o projeto de três pontes de concreto na MS-345, no trecho entre a BR-149, em Bonito.

Estruturas serão sobre o córrego Pimenta, Vazante I Miranda e sobre a Vazante I Mato Grosso.

Recursos para as obras foram arrecadados pelo Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundersul). 

 
 

Felpuda


Embora tenha manifestação de que não haverá mudanças na administração municipal que se iniciará dia 1º de janeiro, o que se ouve por aí é que a realidade não seria bem assim.

Alguns setores deverão passar por alterações, como forma de se azeitar engrenagens que estariam deixando a desejar. 

O Diário Oficial, a partir daquela data, deverá ser a publicação mais lida a cada manhã.