Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BOLETIM

Estado tem mais curados do que casos novos da Covid-19

Razão é de oito curados para cada hospitalizado.
27/04/2020 11:25 - Ricardo Campos Jr


 

Embora Mato Grosso do Sul tenha aumentado a lista de mortos pela Covid-19, o número de curados superou a quantidade de casos novos nesta segunda-feira (27), com direito a quatro pacientes deixando a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e reduzindo o número de casos críticos no Estado.

Boletim epidemiológico aponta que 124 se recuperaram e 14 continuam internados, razão de oito curados para cada hospitalizado.

 
VEJA TAMBÉM
 

Outros 91 pacientes testaram positivo e cumprem quarentena em casa. “Desejamos que tudo transcorra bem para essas pessoas”, disse o secretário de Saúde, Geraldo Resende.

No domingo, oito ocupavam leitos de UTI com Covid-19 e hoje o número caiu pela metade. Essas pessoas não entram nas estatísticas de curados porque ao deixar os cuidados intensivos são levadas às enfermarias ou cuidados semi-intensivos.

MORTES

O boletim soma duas mortes para a conta de Mato Grosso do Sul. Uma das vítimas era caminhoneiro, tinha 56 anos e estava internado em um hospital do Tocantis. Contudo, na vigilância epidemiológica, o que vale é o domicílio da vítima, que neste caso era Dourados.

Uma idosa de 76 anos faleceu em Paranaíba também em decorrência da doença. Deu entrada no setor clínico e foi transferida na última sexta-feira (24) para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde não resistiu.

Boletins médicos divulgados ao longo da semana passada pela unidade apontavam que o quadro clínico já era considerado grave, porém estável.

A vítima era tratada com a combinação de antibiótico e hidroxicloroquina. O marido dela, de 81 anos, também é caso confirmado do novo coronavírus, mas só teve sintomas leves, cumpriu a quarentena em casa e foi declarado curado.

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.