Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FAMÍLIA EM LUTO

"Estava no lugar errado e na hora errada", lamenta irmã de jovem morta em festa

Luana foi atingida por pedaço de garrafa durante briga generalizada
04/11/2019 17:41 - GLAUCEA VACCARI E BRUNA AQUINO


 

“Ela estava no lugar errado e na hora errada”. É assim que Jéssica Farias, 26 anos, define a fatalidade que tirou a vida de Luana Farias de Oliveira, 20 anos. A jovem morreu ao ser atingida por pedaço de garrafa quebrada durante briga generalizada em uma festa realizada no Centro Comunitário do Bairro Universitário no último domingo (3).

“Infelizmente aconteceu essa fatalidade com minha irmãzinha. Eu só tenho a dizer que ela não tinha problemas com ninguém, não era de sair. Ela estava no lugar errado e na hora errada. Menina alegre, sorridente, inteligente, muito querida”, disse Jéssica ao Correio do Estado.

Na madrugada de domingo, a jovem participava de festa realizada no bairro com o marido, quando de repente começou uma briga generalizada e, durante o tumulto, ela foi ferida com uma garrafa quebrada no braço e pescoço. A jovem chegou a ser socorrida, mas morreu na Unidade de Pronto Atendimento(UPA) Guaicurus.

Conforme Jéssica, a jovem estava muito feliz e no melhor momento da vida. No fim de outubro, ela recebeu a notícia de que seria promovida de atendente júnior para balconista na empresa onde trabalhava, recentemente tirou carteira nacional de habilitação e estava juntando dinheiro para comprar uma moto.

“Estava tudo dando certo na vida dela. Ela dobrava de período no trabalho e era o exemplo da casa, para ajudar minha mãe. Como balconista ela ia ganhar mais. Ela estava muito feliz por isso. Era casada há 5 anos com David que presenciou a partida dela”, disse, se referindo ao esposo da jovem, que estava com ela na festa e ajudou a socorrê-la.

Ainda segundo Jéssica, por conta da promoção, um dia antes da fatalidade, no sábado (2), a família fez um churrasco na casa da mãe delas. A comemoração se estendeu até 1h de domingo, com todos dançando músicas antigas e festejando.

“Ela estava muito empolgada. Estava minha vó, mãe, ela e meu filho. Ela disse que as quatro gerações estavam juntas”.

Pouco depois da 1h, um casal de amigos de Luana chegou na residência e a convidou para ir na festa que estava sendo realizada na associação.

Segundo ela, a briga teria começado ao lado do estacionamento e um rapaz teria atacado uma garrafa de vodka em outro menino. A garrafa quebrou na cabeça desta pessoa e os cacos de vidro acertaram o rosto, pescoço e braço de Luana.

Esposo da vítima informou que Luana sentiu o corte, reclamou que estava ferida no rosto e desmaiou. Ele então a pegou nos braços e levou até a unidade de saúde.

Médicos e enfermeiros relataram que Luana deu entrada na unidade com parada cardiorrespiratória e lesões provocadas pelo objeto cortante no rosto, pescoço e braços, todos do lado esquerdo do corpo. Equipe chegou a tentar reanimar a jovem, mas ela não resistiu e morreu 20 minutos após chegar a UPA.

“O que eu gostaria de falar para ela é que eu gostaria de fazer mais por ela, proteger, ter impedido ela de ter ido nessa festa, de ter sofrido essa injustiça. E de que o Henry (sobrinho dela) vai sentir muita falta dela! Que amamos essa princesa!”, finalizou a irmã, emocionada.

Delegada responsável pela investigação, Célia Maria Bezerra da Silva, disse que já tem um suspeito para o crime e equipes estão em diligências. Ela estuda pedir a prisão preventiva do rapaz, que não teve a identidade divulgada.

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...