Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ALÍVIO

Estiagem de 45 dias em Campo Grande pode acabar neste fim de semana

Inmet prevê muitas nuvens, com possibilidade de chuvas isoladas a partir da tarde deste sábado
15/08/2020 10:00 - Eduardo Miranda


Os moradores de Campo Grande, que não presenciam uma chuva significativa há 45 dias, poderão reencontrar este fenômeno meteorológico neste sábado. Pelo menos é o que preveem o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima de Mato Grosso do Sul (Cemtec).

O Inmet prevê muitas nuvens, com possibilidade de chuvas isoladas a partir da tarde deste sábado, na Capital. A previsão do instituto para Campo Grande se estende até terça-feira.

Boletim assinado pela meteorologista Franciane Rodrigues, do Cemtec, indica que, a partir deste sábado, as áreas de instabilidade ganham força no sul de Mato Grosso do Sul, e as condições se mantêm até o dia 22. Nesta área de instabilidade poderão ocorrer chuvas isoladas, mas também temporais, com trovoadas e rajadas de vento.

A partir do domingo, até mesmo no Pantanal, bioma que tem sofrido com as queimadas há dois meses, a mudança no tempo deve aliviar o trabalho dos bombeiros e apagar vários focos de incêndio.

FRIO

A partir de terça-feira, depois das chuvas, a previsão é de que a temperatura entre em queda e os efeitos de uma massa de ar polar comecem a ser percebidos pela população e pela vegetação.

Em Campo Grande, a temperatura mínima pode ser de 6ºC na quinta-feira.  

No sul do Estado, onde a chuva chegou antes, na quinta-feira (13), a previsão é de frio para a próxima semana. Na quinta-feira (20), Ponta Porã deve registrar temperatura mínima de 2ºC.

 
 

Felpuda


Os bastidores fervem com a ciumeira que vem acontecendo em alguns municípios, onde determinados candidatos estariam sendo mais prestigiados que outros depois das alianças que foram formalizadas nas convenções. As queixas só aumentam, e as lideranças partidárias já não sabem o que fazer, temendo a possibilidade de que a vitória vá para o ralo. A bronca maior está entre integrantes das chapas puras de vereadores que se coligaram na majoritária. E salve-se quem puder!