Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

URGENTE

Com estoque praticamente zerado, Hemosul precisa de doações

Pedidos mais urgentes são para tipagens O negativo e positivo
14/05/2020 13:18 - Bruna Aquino


O Hemocentro de Mato Grosso do Sul (Hemosul) entrou em estado absoluto de emergência para os tipos de sangue O negativo e O positivo, que só possui estoque de 10%. O hemocentro solicita que os doadores frequentes ou novos doadores compareçam com urgência para ajudar no aumento do estoque. 

Segundo a coordenação do Hemosul, devido à pandemia do novo coronavírus bem como a ocorrência de chuvas e baixas temperaturas, o número de doadores caiu bastante, porém a demanda nos hospitais continua com fluxo normal. “Precisamos de um número adequado de doadores diariamente. A dengue continua, todos os tratamentos que usam plaquetas continuam, os pacientes continuam sendo internados por outras patologias”, explica Marli Vavas, coordenadora do Hemosul.

Devido a pandemia, o Hemosul implantou a doação por agendamento como mais uma opção para estimular a população. Porém a instituição continua recepcionando, com todos os cuidados necessários, aqueles que comparecem de maneira espontânea. 

QUEM PODE DOAR
O voluntário precisa apresentar documento oficial com foto, estar bem alimentado, ter mais de 55 quilos, e ter idade entre 16 e 69 anos. Caso o doador tenha entre 16 e 17 anos, precisa estar acompanhado de um responsável legal.

O Hemosul Coordenador está localizado na avenida Fernando Corrêa da Costa na Capital. Para informações ou agendamentos o Hemocentro coordenador disponibiliza os números (67) 99298-6316, (67) 3312-1516 ou (67) 3312-1529.


*Com informações do Portal MS

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.