Clique aqui e veja as últimas notícias!

CRIME ORGANIZADO

Execução na fronteira pode estar <br>ligada à morte de tio de Jarvis Pavão

Hector Gustavo Fariña Argaña foi atacado por pistoleiros na frente de casa
02/02/2019 07:55 - RENAN NUCCI


 

Hector Gustavo Fariña Argaña, de 25 anos, morreu em ataque de pistoleiros ocorrido na madrugada deste sábado, na cidade paraguai de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã. Abel Ortega Roman, 52, e Milciadez Gabriel Recalde, 36, se feriram e foram socorridos. A suspeita é de que o caso esteja ligado à execução de Francisco Chimenes, tio do narcotraficante Jarvis Chimenes Pavão.

Segundo o site Porã News, Hector estava na frente de sua residência na Rua Primeiro de DEzembro, no Bairro Santo Antônio, conversando com o amigo Abel, quando os executores chegaram atirando no local. O rapaz morreu no local. Abel acabou ferido no braço e na perba e o segurança Milciadez, que chegou a atirar contra os pistoleiros, foi baleado no peito. Estes dois foram socorridos por bombeiros e levados ao hospital.

No local foram, recolhidas 18 cápsulas de pistola calibre nove milímetros. Testemunhas afirmam que os suspeitos estavam em duas motos. A polícia acredita que este acerto de contas do crime organizado esteja ligado à morte de Chico, tio de Pavão, que teve a casa invadida por criminosos que atiraram 190 vezes de fuzil no local, no dia 17 de janeiro. Chico foi a quarta pessoa ligada a Pavão morta nos últimos três meses na fronteira.