Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ASSISTÊNCIA SOCIAL

Exército vai auxiliar municípios na distribuição de cestas para famílias carentes

Serão entregues 960 toneladas de alimentos nesse e nos próximos 2 meses
27/04/2020 10:42 - Bruna Aquino, Daiany Albuquerque


 

Começou nesta segunda-feira (27) a distribuição de 20 mil cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade, inscritas no cadastro único durante a pandemia do novo coronavírus. O Exército Brasileiro e a Defesa Civil vão auxiliar os municípios durante as distribuições na entrega para os 79 municípios de Mato Grosso do Sul. 

Ao todo serão 60 mil cestas distribuídas ao longo de três meses as famílias cadastradas. Serão entregues 960 toneladas de alimentos que custou R$ 5,8 milhões aos cofres públicos, segundo informou o Governo do Estado. 

De acordo com a Secretária da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), Elisa Cleia Nobre, hoje as cestas foram entregues direto para as prefeituras, mas a partir de amanhã, serão encaminhadas para os municípios maiores, Dourados e Três Lagoas e de lá serão distribuídas com a ajuda do Exército e Defesa Civil para as cidades nos entornos para facilitar no deslocamento. “Houve um aumento muito grande de pessoas em situação de vulnerabilidade durante a pandemia, é crucial esse tipo de atendimento”, explicou.

Secretário Especial do Governo Carlos Alberto Assis disse ao Correio do Estado que outras ações estão sendo realizadas para ajudar pessoas que perderam o emprego. Ele citou ações como a questão da prorrogação da energia elétrica nos lares, como também da Sanesul e o aumento no vale renda. “A assistência nos cobra todos os dias para novas medidas, a gente tem feito o que pode, mas a gente tem que ser humanista, mas não pode deixar de olhar para o orçamento, temos que fazer tudo dentro da lei”, disse.

 

 
 

CAPITAL
Em Campo Grande, a entrega das cestas para a prefeitura vai beneficiar 1,5 mil famílias carentes. Funcionários vão de casa em casa fazer a entrega dos sacolões para evitar aglomerações se caso houvesse um ponto de distribuição. 

Segundo o secretário de assistência social do município, José Mário Antunes, antes da pandemia eram atendidas em torno de 800 famílias por mês, mas o número aumentou radicalmente (1,5 mil famílias) devido à disseminação do novo coronavírus. “Antes as cestas eram compradas com recursos próprios ou repasses da União pelo Fundo Nacional da Assistência Social, mas como tivemos essa parceria com o Governo do Estado, a próxima compra será para o mês que vem”, contou. 

O secretário explicou que em Campo Grande, por ano, eles distribuem cerca de 12 mil cestas, mas esse ano deve aumentar o número de sacolões por conta da necessidade que a pandemia trouxe as famílias campo-grandenses. Nos próximos meses serão recebidos em parceria com o Governo do Estado 4.500 cestas básicas. 

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!