Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

SAÚDE EM DÉBITO

Impasse burocrático faz Hospital Regional enfrentar período com escassez de alimentos para internados

Diretoria afirmou já ter dado entrada em pedido para aquisição emergencial dos itens
08/11/2020 14:21 - Brenda Machado


Há cerca de um mês, pacientes do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul lidam com a escassez de alguns tipos de alimentos.

Uma denúncia feita ao Correio do Estado falou sobre a falta de feijão, leite, e suplementos, que servem como reforço para os internados, além da pouca variedade de carnes.

"Se eles não comem direito é muito pior, prolonga muito o tempo de internação, são mais custos.", disse o denunciante.

A falta de variedade também é um problema das frutas, segundo informações, o Hospital sempre é abastecido basicamente com banana e melancia.

Com a má alimentação, a saúde do paciente pode ser prejudicada e, aumentando o tempo de estadia, a unidade pode enfrentar um "congestionamento".

Desde o início da pandemia no estado, o Hospital é referência no tratamento contra a Covid-19, e também atende outras patologias.

O Jornal está apurando o caso há alguns dias e, após contatarmos a Fundação, alguns produtos voltaram a aparecer. Esta semana, alguns pacientes receberam iogurte, vitaminas a base de leite, e, além das frutas já citadas, melão.

 
 
Justificativa

Questionado sobre a escassez dos itens, o diretor financeiro do HRMS, Danilo Vasconcelos, não citou as suplementações.

Respondeu apenas que a queda no recebimento de mercadorias está relacionada a um impasse entre fornecedores e Governo.

Todos os produtos são recebidos por meio de licitação, mas, como houve variação no preço de alguns itens, os fornecedores pediram por realinhamento, ou seja, um acréscimo no pagamento para que os alimentos sejam entregues.

O pedido foi feito junto à Secretaria de Administração e Desburocratização do Estado.

Enquanto não se estabelece um acordo, o Hospital informou que abriu processos para aquisição emergencial de leite e feijão, únicos mencionados pela Direção.

"A falta dos itens acima descritos não resulta em prejuízo aos pacientes e servidores atendidos por esta Fundação, visto que dispomos de ampla variedade de itens de hortifrúti, não perecíveis e cortes de carne, que de acordo com cardápio elaborado pelo corpo de nutricionistas do HRMS, supre as quantidades diárias de vitaminas, minerais, carboidratos, gorduras e proteínas, conforme dieta prescrita a cada paciente e cardápio oferecido no refeitório.", reiterou Vasconcelos.

 

Felpuda


Embora tenha manifestação de que não haverá mudanças na administração municipal que se iniciará dia 1º de janeiro, o que se ouve por aí é que a realidade não seria bem assim.

Alguns setores deverão passar por alterações, como forma de se azeitar engrenagens que estariam deixando a desejar. 

O Diário Oficial, a partir daquela data, deverá ser a publicação mais lida a cada manhã.