Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DENGUE

Falta de lançamento de dados gerou diferença em notificações

Dados da Sesau até maio do ano passado são três vezes maiores que da Secretaria Estadual
18/06/2020 19:05 - Daiany Albuquerque


 

A falta de lançamento em sistema do Ministério da Saúde pode ter prejudicado a divulgação dos dados corretos da dengue em Campo Grande, no ano passado. Isso porque os números apresentados pelas secretarias de Saúde do município e do Estado são completamente diferentes.

Considerando o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES) do ano passado, até a semana 24, a mesma que estamos no momento, eram apenas 11.774 casos na Capital. Entretanto, dados da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) até o último dia de maio de 2019 eram 35.540 casos notificados.

De acordo com a SES, desde o ano passado a pasta começou a usar o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), do Ministério da Saúde, para notificar casos de dengue. Para isso, cada município é responsável por inserir os dados registrados em suas localidades e o que pode justificar essa discrepância é a demora na inserção dessas notificações pela Sesau.

Em nota, a secretaria municipal informou que o boletim epidemiológico da pasta “adota uma planilha paralela com dados que são filtrados e apresenta um número real. No Sinan pode haver duplicidade na informação, pelo fato da notificação ser feita diretamente pelo Distrito Sanitário, que é responsável por coletar os dados nas unidades”, diz a Sesau. 

Entretanto, a secretaria, por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou que “por orientação da SES, vamos lançar também os dados do Sinan para evitar essa diferença nas informações”.

A diferença, porém, também é registrada nos dados desde ano. Enquanto no boletim da Sesau foram 13.653 até esta semana (a 24ª), no do Estado já são 14.273 notificações.

Matéria publicada nesta quinta-feira (18) pelo jornal Correio do Estado, com dados da SES, apontava que os casos de dengue deste ano na Capital eram maiores que o registrado em 2019, no mesmo período. Já que no ano passado teriam sido 11.774 casos, enquanto em 2020 já passou dos 14 mil.

Apesar de a prefeitura contestar os dados da Capital, apresentados pela secretaria estadual, o restante do Estado permanece tendo mais casos este ano do que em 2019. Durante todo o ano passado, foram 85.392 notificações, enquanto até agora este ano tem 62.451, um aumento de 847 notificações em apenas uma semana. Entretanto, até a semana epidemiológica 24 do ano passado, a mesma em que estamos, eram 41.046 notificados, um aumento de 34% em 2020. 

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.