Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SAÚDE

Faltam vacinas contra gripe em postos pelo País

Em Campo Grande campanha começou na terça-feira e locais de vacinação estão lotados
26/03/2020 07:29 - Estadão Conteúdo


Dois dias depois do início da campanha de imunização contra a gripe no Brasil, postos de saúde da rede pública do País já registram falta de vacina. O Ministério da Saúde afirma que alguns municípios estão imunizando "para além do público prioritário". A primeira fase da campanha é voltada para idosos e trabalhadores do setor de saúde.

A vacinação estava prevista para abril, mas, por causa da pandemia do coronavírus, foi antecipada e iniciada na segunda-feira. O objetivo é imunizar a população para a gripe comum e facilitar a triagem na rede de saúde de possíveis pacientes com coronavírus.

Postos de saúde das cidades de São Paulo, Belo Horizonte e Recife relataram falta de vacina nesta manhã e tarde de quarta-feira. Em Curitiba, o estoque acabou e a campanha foi suspensa. A prefeitura de Manaus informou ter recebido "quantitativo reduzido" para atendimento à população dessa fase da campanha. No Rio, ontem, também houve reclamação por falta de vacina na capital. A prefeitura disse que a situação já foi normalizada. Em Pernambuco, o Estado alegou não ter recebido todas as doses necessárias.

RESPOSTA

O Ministério da Saúde afirma que todos os Estados estão abastecidos para a campanha. "Alguns municípios estão vacinando para além do público prioritário. Por isso, alerta-se sobre a importância de que Estados e municípios sigam a dinâmica de vacinação, dividida por fases e públicos prioritários".

 

Felpuda


Alguns políticos estão se aproveitando deste momento preocupante de pandemia para sugerir projetos oportunistas que, em alguns casos, são de resultados extremamente duvidosos. O mais interessante – para não dizer outra coisa – é que se for analisado o desempenho normal dessas figuras, verifica-se que essa preocupação toda nunca esteve no topo das suas prioridades. Ano eleitoral é assim mesmo. Lamentável!