Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PROPRIETÁRIAS

Famílias irregulares de Bonito receberam título de suas propriedades hoje

Neste sábado 55 famílias foram regularizadas e receberam documentação gratuitamente
29/08/2020 18:00 - Fábio Oruê


A lei de Regularização Fundiária está garantindo o sonho de muitas famílias de ter o título de propriedade de seu imóvel em Mato Grosso do Sul.

Neste sábado (29) foi a vez de 55 famílias de Bonito receberem a documentação gratuita, encerrando um espera de 17 anos - desde 2003. Os moradores fazem parte do Loteamento Jacques Liel Brum (Che Roga Mi).

Dona Nemécia Sanabria foi uma das pessoas beneficiadas com a regularização. 

“Hoje está sendo um dia muito especial na minha vida. Pra uma pessoa que nunca teve nada, conseguir a escritura de uma casa é muito gratificante. Eu já estava perdendo a esperança de conseguir, mas graças a Deus o meu dia chegou".

Segundo a equipe da Agência de Habitação Popular de Mato Grosso (Agehab), que trabalhou junto com o município na regularização dos imóveis, o loteamento Jacques Liel Brum foi exemplo para os demais municípios no âmbito da Regularização Fundiária, pois foram realizados o levantamento topográfico georreferenciado de todos, notificação dos confrontantes e levantamento e cadastramento de cada família.

Presente na solenidade de entrega, o diretor do Departamento Municipal de Urbanização e Regularização Fundiária (DEMURF), Wladimir Alves, falou da alegria em ver trabalho concluído. 

“É um processo difícil, entrar em contato com cada morador, explicar como funciona o programa, mas no final é gratificante ver a alegria de cada pessoa ao receber seu documento de posse, nos faz acreditar ainda mais em nosso trabalho”, disse.

O coordenador de região, Gerson Prata, também esteve na solenidade representando o Governo do Estado. 

Durante a entrega dos documentos foi tomada todas as medidas de prevenção contra o novo coronavírus.

 
 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!