Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PMA

Fazendeiro preso e multado em R$ 45,6 mil por desmatamento

Ele foi autuado por desmatamento, exploração de madeira, degradação de córrego e posse ilegal de arma
21/08/2015 15:27 - DA REDAÇÃO


 

Policiais Ambientais de Miranda (MS) em fiscalização nesta quinta-feira (20), nas propriedades rurais de Bodoquena (MS) prenderam em flagrante, um proprietário rural, de 29 anos. Na fazenda, distante 20 Km de Bodoquena, foi encontrado um desmatamento de 5 hectares sem autorização, com derrubada de árvores, predominantemente bacuris.

O infrator apresentou a Declaração Ambiental Eletrônica (AA) para limpeza de pastagem, documento este, que não autorizava o desmatamento que realizava. As árvores de bacuris eram derrubadas com utilização de máquina de esteira e trator, as quais foram retiradas da faixa marginal de um curso d’água que corta a propriedade, conhecido como “córrego Maconha”, tendo sido retirada parte da vegetação da mata ciliar, em um total de 1,2 hectares, da área de Preservação Permanente.

A PMA também encontrou outro desmatamento ilegal na propriedade com aproveitamento da madeira das árvores cortadas, o qual destruiu a área de preservação permanente nas duas margens do córrego Maconha, destruindo árvores da espécie angico, amoreira e bacuri, em alguns locais destruindo toda a vegetação de mata ciliar, perfazendo um total de 3 hectares. No local, houve a obstrução do córrego, com restos de madeira (troncos, árvores e terra) empurrados para o leito do córrego. A obstrução foi realizada facilitar os trabalhos da máquina de esteira, além da construção de uma ponte de madeira sobre o córrego.

Em outro local foram verificados palanques de madeira da espécie aroeira (madeira protegida) retirados de árvores extraídas em cima do morro, de área de preservação permanente. Eram 70 palanques medindo 3,20m x 30cm, além de 320 pranchas de angico e ipê serradas explorados ilegalmente.

Do local da exploração ilegal de madeira, até a sede da fazenda, os policiais verificaram várias árvores da espécie bacuri, que estavam secas, devido ao uso de veneno das marcas togar e runner, cujos tambores foram encontrados em um barraco. Este crime foi confirmado pelo empreiteiro, o qual informou ter feito uso do veneno nos bacuris por ordem do proprietário. Os agrotóxicos estavam armazenados em um barraco às margens do córrego Maconha e foram apreendidos. Também foi apreendida uma espingarda calibre 28 com dois cartuchos do mesmo calibre, sem numeração aparente e um motosserra sem licença de porte e uso, que estavam no barraco.Foram apreendidos ainda: a madeira ilegal, um trator e uma máquina de esteira que efetuava o desmatamento

O proprietário, residente em Bodoquena, assumiu a autoria dos crimes ambientais e a posse ilegal da arma e do motosserra e recebeu voz de prisão. Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de Miranda (MS), juntamente com o material apreendido, onde ele foi autuado em flagrante. As penas para os crimes podem chegar a nove anos de prisão. As atividades foram interditadas e o infrator foi autuado administrativamente e multado em R$ 45.600. O infrator foi notificado a realizar a recuperação da área degrada.

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...