Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Feira Central reabre no sábado com triagem de clientes e desinfecção três vezes ao dia

Feirona está fechada desde o dia 19 de março e reabrirá no sábado com medidas de biossegurança
08/04/2020 20:06 - Glaucea Vaccari


 

Fechada desde o dia 19 de março, a Feira Central de Campo Grande foi autorizada a reabrir a partir deste sábado (11), com a adoção de medidas de biossegurança em prevenção a Covid-19. Resolução que permite o retorno das atividades e as medidas a serem tomadas foram publicadas nesta quarta-feira (8), em edição extra do Diário Oficial do Município.

Conforme a publicação, nas entradas de acesso, na Avenida Calógeras e Rua 14 de Julho, deverá ser feita, obrigatoriamente, a triagem dos clientes e colaboradores com medidor de temperatura infravermelho e, aqueles que apresentarem estado febril deverão ter a entrada recusada.  

O estabelecimento também deverá disponibilizar álcool em gel 70% e máscaras para os clientes que não estiverem utilizando para poder entrar na feirona; reduzir em, no mínimo 30%, a capacidade de atendimento das barracas de alimentos, com distanciamento de dois metros entre as mesas. Funcionários também utilizar máscara.

Feirantes e demais funcionários que fazem parte do grupo de risco, ou seja, gestantes, idosos com mais de 60 anos, pessoas que tenham comorbidades ou doenças crônicas e pessoas com sintoma de gripe estão proibidas de trabalharem.

Máquinas de cartão deverão ser higienizadas após cada uso e deverá ser realizada a desinfecção de cada banca e equipamentos de uso no mínimo três vezes ao dia, podendo ser utilizada solução de hipoclorito de sódio 0,1%. Limpeza total das bancas deverá ser feita após o término de cada expediente.  

Descumprimento das medidas pode acarretar em responsabilização civil, administrativa e penal dos  infratores, podendo responder por crimes contra a saúde pública e contra administração público em geral.

 

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!