Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ABRIL

Feira Central tem eventos cancelados e cria serviço de delivery

Clientes poderão comprar por telefone
18/03/2020 10:42 - Izabela Jornada


Eventos que estavam marcados para ocorrer entre os dias 5 a 12 de abril, na Feira Central de Campo grande, foram adiadas sem data futura determinada. De acordo com a presidente da Associação da Feira Central, Cultural e Turística de Campo Grande, Alvira de Melo, o 13º Festival do Peixe da Feira Central e a 2ª Feira Cristã foram suspensos. “Vamos esperar terminar esse período negro”, afirmou a presidente da associação.

Além do cancelamento dos eventos, os feirantes terão que se adequar as normas determinadas pelo prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), publicada em decreto municipal, com o objetivo de prevenir o coronavírus. “Vamos manter as mesas dos restaurantes com espaço de 1,5 metro e vamos colocar álcool em gel nas entradas da feira, vamos reduzir o número de funcionários e o número de mesas também”, declarou Alvira.

Outra medida que será implantada como prevenção ao coronavírus é a possibilidade do cliente pedir sua comida pelo telefone. “Faremos um serviço de delivery em que o cliente entrará pela Avenida Calógeras e poderá retirar seu alimento, sem precisar descer do carro”, disse a presidente da associação.

De acordo com Alvira, dois estabelecimentos já anunciaram que preferem fechar o restaurante durante esse período de quarentena e que estão planejando dar férias coletivas para os funcionários.

SERVIÇO DE DELIVERY

O cliente que decidir pelo serviço delivery poderá ligar no estabelecimento ou nas barracas de frutas e verduras e o produto será entregue pela Calógeras. "Teremos um espaço específico para isso, no local", disse a presidente da associação.

O horário de funcionamento da feirona continuará o mesmo, de quarta a domingo, das 16h à 00h.

 

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.