Cidades

CORONAVÍRUS

A+ A-

Fiocruz lança projeto de combate à covid-19 em comunidades do Rio de Janeiro

Apoio à população passa por orientações, testagem e mapas de risco

Continue lendo...

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) lançou hoje (19) o Conexão saúde: de olho na covid, projeto que vai contribuir para o enfrentamento da pandemia de covid-19 no Complexo da Maré e em Manguinhos, comunidades na zona norte da cidade do Rio de Janeiro.

A iniciativa conta com o apoio da gestão municipal, por meio das unidades de saúde, e inclui desde a orientação e o apoio à população local, até a telemedicina, a testagem molecular, o rastreamento de quem teve contato com alguém infectado pelo novo coronavírus e a produção de mapas de risco dentro das comunidades.

Além do processamento das amostras dos testes RT-PCR, a Fiocruz atuará na coordenação do projeto e será responsável pela capacitação dos profissionais envolvidos, logística das etapas, doação de insumos para coleta e transporte das amostras para seus laboratórios.

O projeto é uma parceria da Fiocruz com as associações Redes da Maré e Conselho Comunitário de Manguinhos, o aplicativo Dados do Bem, o SAS Brasil e o União Rio, movimento da sociedade civil que uniu pessoas e organizações para tentar reduzir os impactos da covid-19 no Rio de Janeiro.

Segundo o coordenador do projeto pela Fiocruz, Valcler Rangel, a ideia é ampliar o acesso dos moradores das duas favelas aos serviços de saúde durante o período de pandemia, oferecendo uma cadeia completa de atendimento, desde a possibilidade de um diagnóstico precoce da doença e acompanhamento clínico até a realização de testes de diagnóstico do novo coronavírus e o rastreamento de contactantes.

“Queremos promover o isolamento seguro, monitorar via telemedicina de maneira articulada com as equipes de saúde da família e internar o paciente quando for necessário”, disse Rangel. “Os dados mostram uma periferização da doença ao longo do tempo. As maiores taxas de mortalidade estão concentradas nas favelas. A população negra tem o maior percentual de óbitos”.

De acordo com Rangel, uma segunda etapa do projeto prevê que ele possa ser replicado em outras favelas e periferias como um modelo de intervenção para emergências em saúde pública já testado em nível local.

Durante o lançamento virtual do projeto, a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, destacou a importância da parceria das instituições públicas com a iniciativa privada de forma articulada com as lideranças comunitárias. “A articulação da sociedade civil voltada para soluções não pode prescindir de uma construção coletiva”.

O médico Drauzio Varella ressaltou ser fundamental o trabalho prévio da Fiocruz com as duas comunidades de cerca de 180 mil pessoas para que a iniciativa possa trazer bons resultados e ser replicada em outras localidades do país.

Para a pneumologista e pesquisadora da Fiocruz Margareth Dalcolmo, o projeto traz o reconhecimento do papel primordial das lideranças comunitárias para o acesso às comunidades. “São as legítimas representantes das pessoas e dos problemas que são mais prevalentes nessas comunidades”.

A representante do Conselho Comunitário de Manguinhos, Patricia Evangelista, lembrou que a emergência sanitária evidenciou as desigualdades vividas nas favelas como a falta de saneamento básico, de água, e de habitações adequadas. “A população mais vulnerável só tem acesso ao sistema público de saúde que já estava precário antes da pandemia, o que dificulta e coloca mais em risco a vida das pessoas”.

O Conexão saúde: de olho na covid recebeu cerca de R$ 1,6 milhão do Todos pela Saúde, iniciativa liderada pelo Itaú Unibanco que tem financiado uma série de ações para o enfrentamento da pandemia.

Caçada

Polícia oferece recompensa de R$ 15 mil por cada fugitivo de Mossoró

Investigação trabalhava com a hipótese de que a dupla tenha recebido ajuda fora do presídio

24/02/2024 16h30

Reprodução / Depen

Continue Lendo...

A polícia está oferecendo uma recompensa de R$ 15 mil por cada um dos dois presos que escaparam do presídio federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. A gratificação será concedida a quem fornecer informações que levem à captura dos fugitivos.

Os fugitivos foram identificados como Rogério da Silva Mendonça, 36 anos, conhecido como Tatu, e Deibson Cabral Nascimento, 34 anos, chamado de Deisinho. De acordo com as investigações, eles têm ligações com o Comando Vermelho.

Dois números foram divulgados pela polícia para denúncias, sendo o 180 e o (84) 98132-6057, este último também disponível no WhatsApp. As buscas estão no 11° dia neste sábado (24), com quase 600 policiais envolvidos na operação.

Três pessoas já foram presas sob suspeita de ajudar na fuga de dois detentos da penitenciária federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. As buscas pelos fugitivos chegaram ao nono dia.

Dois dos detidos na operação foram presos em flagrante com armas e drogas, já um homem estava com mandado de prisão e foi preso pela Polícia Federal em Quixabeirinha, em Mossoró. Um carro também foi apreendido pela polícia.

A investigação já trabalhava com a hipótese de que a dupla tivesse recebido ajuda fora do presídio. Isso, inclusive, teria motivado o cerco realizado na quarta-feira na cidade de Baraúna, no Rio Grande do Norte.

A polícia também identificou um possível endereço em que os fugitivos da penitenciária federal de Mossoró se esconderam, ampliando o cerco na divisa entre o Rio Grande do Norte e o Ceará. A descoberta foi feita após localizarem o homem responsável por levar comida para os fugitivos na sexta-feira (23).

O indivíduo que entregava a comida alegou aos policiais que a família estava sendo mantida refém, justificando assim a sua colaboração. As autoridades estão investigando se ele era uma vítima na situação ou se estava ajudando os presos na fuga.

Eles fugiram do sistema prisional na madrugada do último dia 14, Quarta-Feira de Cinzas, e teriam furtado roupas e alimentos no período da noite na comunidade Rancho da Caça. Dois dias depois, fizeram uma família refém, tendo levado dois celulares e carregadores.

Para fugir da penitenciária, eles usaram uma barra de ferro, retirada da estrutura da própria cela, para escavar o buraco da luminária pelo qual conseguiram escapar, afirmam integrantes da cúpula das investigações.

A luminária por onde os presos fugiram não estava protegida por concreto –apenas por alvenaria. Além disso, câmeras de vigilância não estavam funcionando, assim como algumas lâmpadas.

Investigações apontam que a penitenciária não estava fazendo revistas diárias nas celas ou nos detentos, o que seria um erro de procedimento. Mesmo as celas desocupadas deveriam receber inspeções regulares.

A Ficco (Força Integrada de Combate ao Crime Organizado) no Acre prendeu na manhã desta sexta-feira (23) o irmão de um dos fugitivos do presídio de segurança máxima situado em Mossoró (RN).

De acordo com as autoridades, o homem tem condenação por roubo e participação em organização criminosa e estava com mandado de prisão em aberto. O nome do preso não foi divulgado.

Os policiais chegaram até ele em virtude das investigações acerca da fuga de dois homens da penitenciária federal em Mossoró (RN), afirma nota sobre a prisão divulgada pelo Ministério da Justiça.

 

Bailão

Opção de lazer Copa Acrissul de Laço acontece nesse fim de semana na Capital

Evento com praça de alimentação e shows conta com entrada gratuita

24/02/2024 16h00

Continue Lendo...

A Copa Acrissul do Laço Comprido teve início na nesta sexta-feira (23), no Parque de Exposições Laucídio Coelho, em Campo Grande e segue com mais um dia de competição neste sábado (24). Realizado em seis etapas e uma grande final, a Copa dos Campeões, o evento com entrada gratuita contará com estandes de negócios, praça de food trucks, Feira Criativa, playground e show Carapé.

O empresário, sócio e organizador do evento Fábio Araújo explica que além de promover o esporte do laço comprido, cultural em Mato Grosso do Sul, o evento tem a intenção de valorizar os criadores, investidores e profissionais do setor equestre, abrangendo todas as raças, bem como fomentar a equinocultura viabilizando cursos, palestras, provas e comercialização de animais.

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio, participa do evento com a Feira Criativa. “Somos a Capital do Agronegócio, somos a capital com a maior produção agrícola do Brasil. Valorizar o que é nosso, o que é da nossa cultura é fundamental para seguirmos fortes e nos desenvolvermos como a Capital das Oportunidades, ”, diz a prefeita de Campo Grande Adriane Lopes.

O espaço organizado pela Sidagro terá cerca de 20 produtores que levarão costura criativa, cutelaria, peças em madeira, doces, biscoitos, mel, queijos, salames e artesanato em geral. Será um local com gostinho do Mato Grosso do Sul, mostrando um pouco da culinária e do fazer artístico do nosso Estado.

“Essa mais uma iniciativa que a Prefeitura de Campo Grande apoia, por meio da Sidagro que irá movimentar toda uma cadeia produtiva. São sete etapas que acontecerão ao longo do ano que irá reunir as principais delegações, de diversos estados, movimentando a cultura, a economia, o esporte e o lazer de todo o Mato Grosso do Sul, sendo mais uma forma de fortalecer as raízes da região”, diz o secretário da Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio, Adelaido Vila.

Calendário 2024

  • · 1º etapa: 23, 24 e 25 de fevereiro
  • · 2º etapa: 26,27 e 28 de abril
  • · 3º etapa: 31 de maio, 1º e 2 de junho
  • · 4º etapa: 19,20 e 21 de julho
  • · 5º etapa: 20,21 e 22 de setembro
  • · 6º etapa: 25, 26 e 27 de outubro
  • Copa dos Campeões: 29, 30 de novembro e 1º de dezembro.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).