Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TEMPO

Frente fria traz chuva e temperatura cai nesta quarta-feira

Até o fim da semana, mínima pode chegar a 6°C
05/05/2020 19:18 - Eduardo Miranda, Glaucea Vaccari


 

Uma frente fria que chegou a Mato Grosso do Sul no fim da tarde de hoje deve trazer chuva ao Estado e derrubar as temperaturas. Conforme o Instituto Nacional de Meteorologia, as temperaturas no Estado devem oscilar entre 11ºC e 27ºC nesta quarta-feira. 

Em Campo Grande, o mesmo instituto prevê temperaturas variando entre 15ºC (mínima) e 23ºC (máxima) ao longo do dia. A perspectiva é de céu nublado com pancadas de chuva.

Hoje, canal de umidade proveniente da Amazônia passa pelo oeste do Estado e se conecta a uma frente fria de forte intensidade que atua no Paraguai, aumentando a nebulosidade. Amanhã, essa frente fria cruza o estado promovendo fortes pancadas de chuva, especialmente no sudoeste do estado, e promove a queda das temperaturas. 

A massa de origem polar se intensifica durante a semana e faz a temperatura despencar ainda mais nos próximos dias.

Na quinta-feira (7), ventos fortes de sul e sudeste na madrugada e manhã deixam a sensação térmica de ainda mais frio ao amanhecer. Ao longo do dia, o sol aparece entre poucas nuvens e temperaturas sofrem elevação, mas continuam amenas.

Na próxima sexta-feira, a mínima prevista para a Capital é de 8ºC, enquanto para o Sul do Estado é que os termômetros marquem até 6ºC no mesmo dia. Durante a tarde, umidade relativa do ar estará baixa, com índices em torno de 30%,

Sábado, a massa de ar frio perde as características elevando as temperaturas e a umidade, mas mínimas ainda devem ser baixas, especialmente no amanhecer do dia e à noite. Dia de sol com poucas nuvens.

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.