Clique aqui e veja as últimas notícias!

NA LUTA CONTRA O AEDES AEGYPTI

Em combate ao Aedes Aegypti, fumacê percorre 17 bairros da Capital nesta sexta-feira

Moradores devem abrir portas e janelas para que o veneno adentre nas casas e faça efeito
12/03/2021 14:30 - Naiara Camargo


Com o objetivo de eliminar o mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya, o fumacê (serviço de borrifação ultra baixo volume), circulará por 17 bairros de Campo Grande nesta sexta-feira (12).

Mata do Segredo, Noroeste, Novos Estados, Pioneiros, São Conrado, Jardim Seminário, Rita Vieira, Taquarussu, TV Morena, Vila Carlota, Centro, Centenário, Jardim dos Estados, Maria Aparecida Pedrossian, Aero Rancho, Alves Pereira e vila Bandeirantes são os bairros que receberão a borrifação.

Últimas notícias

O serviço começará às 16h e vai até às 22h. Caso haja chuva, neblina ou vento forte, não será possível a aplicação do fumacê, pois essas condições metereológicas atrapalham os serviços. A previsão para hoje (12) é de sol e tempo firme.

É indicado que moradores abram portas e janelas para que o veneno tenha eficácia e atinja os criadouros do mosquito dentro das casas. 

“É preciso lembrar que a Dengue tem feito vítimas em nosso Estado, por isso a importância desta campanha", destaca o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende. 

"A comunidade deve estar atenta porque 80% dos reservatórios com proliferação estão nas casas das pessoas”, acrescenta.

A estação de verão, que tem como características chuvas abundantes, favorece em larga escala o criadouro de mosquitos por conta de água parada em recipientes.

Ações

Algumas medidas foram tomadas ao longo do ano passado para conter o aparecimento desses mosquitos. Em 21 de novembro, houve o Dia “D” de combate ao mosquito na campanha “Aproveite a quarentena e limpe seu quintal”, na capital e em outros 23 municípios do interior. 

O evento contou com o apoio da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (CBMMS). O objetivo era conscientizar a população à eliminar focos do mosquito, além da execução de atividades que contessem criadouros do Aedes Aegypti. 

Drones auxiliaram na identificação de focos do mosquito em lugares inacessíveis aos agentes. 

Em 10 de dezembro, foram soltos os mosquitos Wolbachia. O objetivo foi inibir as doenças transmitidas pelo inseto. 

Ao conter a bactéria Wolbachia, o mosquito Aedes Aegypti tem sua capacidade de desenvolver a Dengue, Zika e Chikungunya reduzida, o que ajuda no declínio dessas doenças. 

Recomendações

A dengue também faz vítimas, assim como o novo coronavírus. 

É aconselhado não deixar água parada em vasos de plantas, reservatórios destampados, garrafas e pneus; usar repelente; colocar telas de proteção em janelas; evitar cultivar plantas aquáticas e virar “bocas” de garrafas para baixo. 

“Vamos aproveitar que muitas pessoas estão ficando em casa por conta da pandemia da Covid-19, para intensificar a guerra contra o mosquito”, disse Resende.

Assine o Correio do Estado