Clique aqui e veja as últimas notícias!

NA LUTA CONTRA O AEDES AEGYTI

Em combate ao mosquito Aedes Aegypti, fumacê percorre 9 bairros de Campo Grande

Moradores devem abrir portas e janelas para que o veneno adentre nas casas e faça efeito
21/12/2020 13:34 - Naiara Camargo


Com o objetivo de eliminar o mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, o fumacê (o serviço de borrifação ultra baixo volume), circulará por nove bairros da capital nesta segunda-feira (21).

Universitário, Tijuca, São Conrado, Pioneiros, Centro Oeste, Centenário, Caiobá, Alves Pereira, e Aero Rancho são os bairros que receberão a borrifação.

Últimas notícias

O serviço começará às 16h e vai até às 22h. É aconselhado que moradores abram portas e janelas para que o veneno tenha eficácia e atinja os criadouros do mosquito dentro das casas. 

Caso haja chuva ou vento forte, não será possível a aplicação do fumacê. 

“É preciso lembrar que a Dengue tem feito vítimas em nosso Estado, por isso a importância desta campanha", destaca Geraldo Resende, secretário estadual de Saúde de Mato Grosso do sul.

"A comunidade deve estar atenta porque 80% dos reservatórios com proliferação estão nas casas das pessoas”, acrescenta.

O verão começou hoje às 6h02 (horário de Ms), e, com ele, a preocupação quanto à proliferação do mosquito devido às chuvas intensas que costumam ocorrer nesta estação do ano. 

Ações de combate ao mosquito

No mês passado, houve o “Dia D” de combate ao mosquito Aedes Aegypti, na campanha “Aproveite a quarentena e limpe o seu quintal”, que foi promovida pelo governo do Estado.

“Vamos aproveitar que muitas pessoas estão ficando em casa por conta da pandemia da Covid-19, para intensificar a guerra contra o mosquito”, disse o secretário de Estado de Saúde. 

No último dia 10, foram soltos os mosquitos Wolbachia. O objetivo é inibir as doenças transmitidas pelo inseto. 

Ao conter a bactéria Wolbachia, o mosquito Aedes Aegypti tem sua capacidade de desenvolver a Dengue, Zika e Chikungunya reduzida, o que ajuda no declínio dessas doenças. 

Assine o Correio do Estado