Clique aqui e veja as últimas notícias!

COMBATE À DENGUE

Fumacê contribui para redução nos casos de Dengue em Campo Grande

Inseticida visa eliminar focos do mosquito Aedes Aegypti em residências
09/06/2021 13:30 - Naiara Camargo


Campo Grande utiliza o fumacê como estratégia no combate à Dengue. O serviço percorre bairros de Campo Grande com o objetivo de combater o mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela.

Com aplicação do inseticida, os casos de Dengue diminuíram 97% no primeiro trimestre de 2021 em comparação ao mesmo período do ano passado, de acordo com o Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Últimas notícias

Campo Grande está na 63ª posição entre os 79 municípios do estado de Mato Grosso do Sul na lista de cidades com maior incidência de Dengue, o que classifica o município com baixa incidência da doença.

O fumacê percorre ruas da Capital de segunda à sexta-feira, das 16h às 22h, em bairros pré-estabelecidos pela Prefeitura Municipal de Campo Grande (PMCG).

A aplicação do fumacê deixa de ser feita caso haja chuva, neblina ou vento forte porque estas condições meteorológicas prejudicam a eficácia do serviço.

É recomendado que moradores abram portas e janelas para que o veneno entre nas casas e elimine os criadouros do mosquito.

O biólogo Marcus Paulo Gonçalves afirma ao Correio do Estado que o fumacê é eficaz no combate ao mosquito Aedes Aegypti, pois os insetos morrem com a vaporização do produto químico.

Humanos e animais domésticos são proibidos de inalarem a Cipermetrina, que é a substância química utilizada na produção do inseticida.

“Como todo produto químico, existe risco de saúde para a população, mas só é aquele risco se for muito inalável ou se tiver contato muito direto com o produto, porque de certa forma são agrotóxicos e fazem mal para as pessoas. Mas no geral, o fumacê não é prejudicial à população”.