Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SR. DO ALUGUEL

Estelionatários se passam por conhecidos e aplicam golpes por aplicativo de mensagens

Golpistas se passam por proprietários de casas de aluguel e chegam até a clonar aplicativo
01/08/2020 11:17 - Gabrielle Tavares


O aplicativo de mensagens WhatsApp tem sido usado por estelionatários para aplicar golpes em Mato Grosso do Sul. Só no mês de julho, foram registrados cerca de seis boletins de ocorrências de pessoas que realizaram transferências bancárias para golpistas.  

Em Dourados, um homem de 35 anos recebeu uma mensagem no aplicativo de uma pessoa se passando pela proprietária da casa onde ele mora de aluguel.  

A vítima depositou a quantia de R$500, e só depois que conversou com sua esposa desconfiou que se tratava de um golpe, já que o número da pessoa que se passou pela proprietária era diferente do número que tinha salvo em sua agenda.  

O homem então entrou em contato com a verdadeira dona da casa que aluga, que confirmou o golpe dizendo que não havia efetuado a cobrança.  

Em Campo Grande, a professora Liliane Oliveira dos Santos, 40 anos, recebeu mensagens parecidas. Uma pessoa que não se identificou, com um número do Estado, disse que era o “Sr. do aluguel” e afirmou que precisava receber o dinheiro do mês.  

Lidiana conta que na hora estava ocupada cuidando da filha pequena e não se atentou que podeira ser um golpe. “Recebi a mensagem e achei estranho me cobrando o depósito, busquei na memória se tinha alguma conta a ser paga agora”, comenta.

A professora tem casa própria, onde mora desde 2005. Ela mandou um áudio para a pessoa dizendo não que nunca morou de aluguel, momento que foi bloqueada pelo golpista.  

“Não sabia desse tipo de golpe. Contei para minhas irmãs e elas me disseram que era, visto que a sogra de uma das minhas irmãs quase caiu nesse golpe, e uma amiga dela chegou a depositar um dinheiro”, acrescentou.  

 
 

Clonagem

Outro golpe recorrente são os de clonagem das contas de WhatsApp, onde estelionatários invadem o aplicativo de uma pessoa e pedem dinheiro para amigos e familiares da vítima, se passando por ela.  

Foi o caso de um homem de 43 anos, que recebeu uma mensagem de seu primo pedindo a quantia de R$1.890. A esposa da vítima pediu para que ele fizesse a transferência para ajudar o primo, que então o fez.  

Em torno de cinco minutos depois, o suposto primo pediu outro depósito no valor de R$ 2550. Momento que a vítima desconfiou e ligou para o parente, que disse que seu aplicativo havia sido clonado.  

Saiba como se proteger

Realizar a autenticação do aplicativo pode evitar que o WhatsApp seja clonado. O usuário consegue criar uma segunda senha que só ele sabe, e também cadastrar um e-mail de recuperação.  

Essa senha é de quatro dígitos e vai passar a ser requisitada regularmente em momentos aleatórios, para confirmar se é realmente o dono da conta que está utilizando o aplicativo. Confira como ativar:

-Clique em “Ajustes” ou “Configurações”, em seguida em “Conta”;

-Em seguida, vá em “Confirmação em duas etapas” e “Ativar”;

-Depois de ativar, cadastre o e-mail de recuperação em “Mudar endereço de e-mail”.

 

Felpuda


Entre sussurros, nos bastidores políticos mais fechados, os comentários são que história apregoada por aí teria sido construída para encobrir o que realmente foi engendrado em conversa que resultou em negociata. 

O script foi na base do “você finge que é assim, e nós fingimos que acreditamos”. 

Batido o martelo, a encenação prosseguiu e, conforme o combinado, deverão ser apresentados novos episódios.

Ah, o poder!