Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SITUAÇÃO EXTREMA

Governo decreta emergência e calamidade em todo o Estado por queimadas e tempo seco

Incêndios aumentaram não apenas no Pantanal e é a maior seca registrada no Estado em 58 anos
13/09/2020 17:12 - Glaucea Vaccari


Governo de Mato Grosso do Sul vai decretar estado de calamidade em todo o Estado devido as queimadas e situação de calamidade por causa da seca extrema.

Anúncio foi feito neste domingo (13) e o decreto deve ser publicado na edição de amanhã do Diário Oficial do Estado.

No dia 24 de julho deste ano, o governo decretou situação de emergência no Pantanal sul-mato-grossense, devido aos incêndios florestais que atingem a região. A emergência foi reconhecida pelo governo federal no dia 6 de agosto.

Desta vez, o decreto abrangerá as 79 cidades do Mato Grosso do Sul, que tem sofrido com aumento de queimadas florestais e urbanas durante o período de calor, seca e estiagem.  

Dentro do decreto, também será declarada situação de calamidade em relação a seca. Conforme dados apresentados neste domingo, esta é a maior seca registrada no Estado em 58 anos., segundo o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck. 

Os índices de umidade tem ficado abaixo de 15% e as temperaturas em torno de 40°C há cerca de um mês e previsão de chuva é apenas para a primavera, que começa no dia 22 de setembro, conforme meteorologistas.

Segundo o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves, a decretação de emergência é importante porque a Defesa Civil tem recursos, mas que não podem ser repassados sem o decreto do estado e reconhecimento pelo governo federal.

Expectativa é que até quarta-feira (16) a situação seja reconhecida, com publicação no Diário Oficial da União.

Secretário afirmou que determinação do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho e do presidente Jair Bolsonaro é de não medir esforços para o combate aos incêndios no Pantanal.

Com o decreto, será possível aluguel de aviões para ajudar a apagar as chamas, chamar militares de outros estados, garantindo a estadia dos mesmos pelo período de trabalho, entre outras medidas. 

 
 

Queimadas

Segundo dados de monitoramento por satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Mato Grosso do Sul teve aumento de 15% na quantidade de focos de queimadas, com 861 pontos de calor entre os dias 1º e 12 de setembro.

Desde o início deste ano, são 7.401 focos acumulados contra 6.427 em 2019.

As queimadas se concentram principalmente na região do Pantanal.

O aumento dos incêndios se explica pela umidade relativa do ar e temperaturas altas.

* Colaborou Flávio Veras

 

Felpuda


Os bastidores fervem com a ciumeira que vem acontecendo em alguns municípios, onde determinados candidatos estariam sendo mais prestigiados que outros depois das alianças que foram formalizadas nas convenções. As queixas só aumentam, e as lideranças partidárias já não sabem o que fazer, temendo a possibilidade de que a vitória vá para o ralo. A bronca maior está entre integrantes das chapas puras de vereadores que se coligaram na majoritária. E salve-se quem puder!