Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

"AGLOMERAÇÃO"

Governo faz reunião presencial a portas fechadas por conta do coronavírus

Várias entidades da educação, saúde e segurança pública traçam estratégias contra a doença
16/03/2020 09:04 - Daiany Albuquerque, Natalia Yahn


 

Contrariando a recomendação do Ministério da Saúde de evitar aglomerações, o Governo do Estado faz nesta segunda-feira (16) reuniões presenciais para definir estratégias de combate a proliferação do Covid-19, o novo coronavírus.

Apesar da assessoria de imprensa não confirmar a realização da reunião. Várias entidades ligadas a educação e o próprio secretário de Segurança Pública, Antonio Carlos Videira, afirmaram que participariam de reunião nesta manhã na Governadoria.

Haviam confirmado presença em reunião na Governadoria a presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de Mato Grosso do Sul (Sinepe/MS), Maria da Glória Paim Barcellos, o reitor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Marcelo Turine, representante da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), além do titular da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e da secretária de Educação do Estado, Maria Cecília Amendola da Motta.

A informação da assessoria é de que várias reuniões sobre o tema aconteceriam ao longo do dia, entretanto, ninguém confirmou se a reunião, ou as reuniões, acontecem com a presença do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ou só do secretário de Governo, Eduardo Riedel.

No domingo a Universidade Católica Dom Bosco anunciou que iria paralisar as atividades. A Prefeitura de Campo Grande também fez decreto proibindo aglomeração de mais de 100 pessoas de todo o tipo, como cultos, missas, eventos e festas.

 

Felpuda


Dia desses, há quem tenha se lembrado de opositor ferrenho – em público –, contra governante da época, mas que não deixava de frequentar a fazenda de “sua vítima” sempre que possível e longe dos olhos populares. Por lá, dizem, riam que só do fictício enfrentamento de ambos, que atraía atenção e votos. E quem se lembrou da antiga história garantiu que hoje ela vem se repetindo, tendo duas figurinhas carimbadas nos papéis principais. Ô louco!