Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

OBRAS

Governo federal entrega novo trecho restaurado da BR-262 em MS

Com investimento de R$ 55 milhões, serviço deve ser concluído em 2021
09/07/2020 09:16 - Adriel Mattos


O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) entregou ontem, quarta-feira (8), 16 quilômetros de terceira faixa da rodovia BR-262 em Mato Grosso do Sul. O trecho fica entre as cidades de Água Clara e Três Lagoas.

Outros cinco quilômetros da rodovia também foram restaurados. Em 2019, o DNIT executou 56,24 km de restauração da pista, 20,03km de acostamento, 2,66 km de terceira faixa, dois conjuntos de interseções, além das drenagens e sinalizações verticais provisórias.  

Assim, foram readequados 61km da BR-262. A previsão do governo é concluir os serviços em 2021. Até agora, foram investidos R$ 55,8 milhões e 30,84% da obra já executada.

 
 

DUPLICAÇÃO

O Governo do Estado sugeriu no ano passado que a rodovia fosse duplicada, logo após a Suzano anunciar que instalaria uma unidade em Ribas do Rio Pardo. Como noticiou o Correio do Estado em janeiro deste ano, o trecho entre a cidade e Três Lagoas deveria passar por obras.

Com a concretização desta proposta e do anúncio de que a Suzano vai adquirir 106 mil hectares no município, o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck avalia o cenário de forma positivo.  

“Temos um problema evidente na (BR) 262 que é a questão do tráfego. Tentou-se fazer uma PPP (Parceria Público-Privada) e a ideia é que com esse novo projeto se viabilize a possibilidade. É necessário fazer investimentos, não há como não fazê-los, como a transposição de cidades, temos que mexer muito rapidamente com a capacidade da 262”, destacou.

Verruck explicou que “de Três Lagoas a Água Clara está sendo feita a terceira pista, mas tem que ser completada, tem que ser de Campo Grande a Três Lagoas para suportar volume de carga. Isso é uma preocupação para não montar uma indústria e ter um gargalo logístico”.

 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!