Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DESRESPEITO

Guarda encontra 145 pessoas fora de casa após toque de recolher

Medida tomada pelo município ajuda a evitar proliferação do novo coronavírus
03/04/2020 09:31 - Ricardo Campos Jr


 

Campo Grande voltou a ter altos índices de pessoas flagradas fora de casa além do horário permitido pelo toque de recolher. Dados da Guarda Municipal revelam que 145 cidadãos violaram a medida imposta pela Prefeitura para conter o avanço do novo coronavírus. 

Embora não seja o número mais alto desde a vigência do decreto municipal, chama a atenção por ter voltado à casa das centenas, o que só havia acontecido no curto período em que o isolamento noturno começou mais cedo.

Além disso, 59 estabelecimentos comerciais estavam atendendo o público in loco e foram orientados a fecharem as portas e adotar o disque-entrega, caso julgassem necessário. 

Servidores da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur) participaram com os guardas da fiscalização. 

ESTATÍSTICAS

Nos três primeiros dias do toque de recolher, a população obedeceu a determinação e a quantidade de pessoas fora de casa foi reduzindo até chegar a zero no dia 23 de março.

Contudo, no dia 26 aumentou para 155 até bater o recorde no dia 29 de março com 172 pessoas, a maioria sentada na calçada conversando. 

MORADORES DE RUA

A Prefeitura também tem trabalhado para que moradores de rua aceitem acolhimento. Ontem, 23 toparam ir até o Centro Municipal de Triagem de Migrantes (Cetremi), onde têm um lugar para dormir e comer. 

 

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.