Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DESINFORMAÇÃO

Eleições: Homem é preso durante operação contra “fake news” em Campo Grande

Suspeito é acusado de propagar notícias falsas contra agentes públicos do Estado
06/10/2020 14:47 - Flávio Veras


Um homem, de 28 anos, foi preso durante a operação “Eleições Limpas”, desencadeada pela Polícia Civil, na manhã desta terça-feira (6), em Campo Grande. As investigações têm o objetivo de coibir a disseminação de “fake news”, nas eleições deste ano, bem como identificar os propagadores de desinformação nas redes sociais.  

Segundo a Polícia Civil, o inquérito policial em trâmite está sob a responsabilidade do delegado Adjunto da 1° DP Mikaill Gouveia.  

Nesta primeira fase da operação, foram cumpridos mandados de busca e apreensão domiciliar em residências de pessoas ligadas a uma página do Facebook, que estaria sendo utilizada na propagação e difusão de notícias falsas, inclusive envolvendo políticos com mandatos, como deputados federais por Mato Grosso do Sul.

Diante de uma determinação Judicial, foram realizadas buscas em dois endereços ligados ao dono de uma página no Facebook. No entanto, os investigadores não divulgaram o nome do suspeito, pois, segundo eles, essa informação poderia comprometer as investigações.  

No local, os policiais apreenderam um notebook, celulares, chips e cartões de memórias utilizados na prática dos crimes. O suspeito, de 28 anos, afirmou ser o responsável pela página e pelos conteúdos nela postados.

O suspeito, juntamente com o material apreendido, foi encaminhado para a 1° Delegacia de Polícia de Campo Grande, onde foi ouvido e, em seguida, liberado.

Em nota, a Polícia Civil esclareceu que “estará atenta a tudo que é postado nas redes sociais, visando a lisura do pleito.”

CONFRONTO JUDICIAL

Candidato à reeleição, o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad, foi à Justiça pedir que o Facebook exclua 43 publicações que segundo ele têm material ofensivo, com o “intuito de denegrir a imagem e a honra” dele e com finalidade aparentemente eleitoral.  

O PSD, partido pelo qual Marcos Trad concorre à reeleição, também atua em outra frente em virtude de manifestações no mesmo meio: o Facebook.  

A sigla representou na Justiça Eleitoral contra o candidato Sérgio Harfouche (Avante) por causa da transmissão ao vivo de sua convenção em suas plataformas, entre elas, o Instagram. Para o PSD, tratou-se campanha extemporânea.  

Conforme os advogados do PSD, o promotor teria usado as páginas “Sérgio Harfouche” e “@promotorharfouche” para transmitir o evento.  Por coincidência ou não, nesta segunda-feira (5) a candidatura de Harfouche retificou as informações contidas no sistema Candex (cadastro de candidaturas do Tribunal Superior Eleitoral).

Ainda na “guerra eletrônica dos tribunais”, Sérgio Harfouche contra-atacou Marcos Trad (que na semana passada pediu a candidatura do candidato do Avante), mas já obteve duas derrotas.  

Segundo a chapa do promotor, o atual prefeito estaria realizando propaganda eleitoral em veículos de imprensa, como A Crítica e Gazeta Morena. O juiz Paulo Afonso de Oliveira, da 8ª Zona Eleitoral, indeferiu os dois pedidos de Harfouche.

 

 

 
 

Felpuda


Mesmo sem ter, até onde se sabe, combinado com o eleitor, candidato a prefeito começou a apresentar nomes do seu ainda hipotético secretariado, pois parece estar convicto de que conseguirá vencer a disputa.

Os adversários dizem por aí que ele está muito distante de “ser um Jair Bolsonaro”, que, ainda na campanha eleitoral para presidente da República, já falava em Paulo Guedes para ser seu ministro de Economia. Como sonhar é permitido