Clique aqui e veja as últimas notícias!

COVID-19

Hospitais chegam ao limite e prefeitura corre para ampliar UTIs

Com piora da pandemia, ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva na Capital chega a 105,69%
08/03/2021 08:30 - Bruna Pasche


O Portal Mais Saúde registrou 105,69% de ocupação dos leitos de unidades de terapia intensiva (UTIs) nos hospitais de Campo Grande na tarde deste domingo.  

Agora, a prefeitura da Capital corre para ampliar o número de leitos e evitar o colapso.

“No contexto de uma nova variante, que já está espalhada no Estado todo, e sem medidas restritivas, o cenário para os próximos dias é bastante preocupante. O que a gente vislumbra que pode acontecer é o que não queríamos, o colapso total. Pessoas aguardando nas UPAs, talvez intubadas, sem vagas nos hospitais”, disse o infectologista Julio Croda.  

A Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau) divulgou ontem a ampliação de mais sete leitos de UTI para atendimento de pacientes com coronavírus na Clínica Campo Grande, que conta agora com 12 leitos de UTI exclusivos para atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

O prognóstico da Capital e do Estado não é bom. De sábado para domingo, Campo Grande registrou 129 novos casos, e

Mato Grosso do Sul tem batido recordes de internações e óbitos nos últimos dias.  

Segundo o boletim epidemiológico da Covid-19 divulgado ontem pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), MS também está com alto nível de internações, batendo 96%. No sábado, o porcentual era de 93%.

Na rede privada, o número é ainda maior, com 99% dos leitos ocupados em todo o Estado.  

Mato Grosso do Sul já tem 187.615 confirmações de Covid-19 desde o início da pandemia. As mortes já contabilizam 3.444, e recuperados somam 173.925.

Nas últimas 24 horas, foram registradas 13 mortes e 542 novos casos.

Medidas restritivas

Ainda no sábado, o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul chegou a 100% dos leitos ocupados e transferiu pacientes para hospitais particulares.

Com isso, a prefeitura informou também que vai retomar as ações de desinfecção em terminais, feiras e vias públicas, além dos mutirões de orientação nas sete regiões da Capital e a volta das barreiras sanitárias ainda esta semana.  

Para diminuir as aglomerações, o número de ônibus do transporte coletivo deverá ser ampliado, sobretudo no horário de pico.

A expectativa é a de que novas medidas de restrição sejam tomadas em conjunto com as tratativas para ampliação dos leitos.  

“Nós vemos dificuldade para os governantes da Capital e do Estado implementarem medidas restritivas no momento em que a gente tem mais de 90% de ocupação dos leitos de UTI e batendo recordes diários, ainda mais estando ao lado de estados que já entraram em colapso e instituíram essas medidas. Vamos aguardar os próximos dias”, concluiu Julio Croda.  

Atualmente, o município conta com 283 leitos de UTI disponíveis ao SUS contratados em hospitais públicos, privados e filantrópicos. A estimativa é a de que ao menos 20 leitos possam ser disponibilizados à população nas próximas semanas.

Ainda segundo dados do Mais Saúde, a Santa Casa contava neste domingo com 13 leitos e 17 internados, o Proncor com 10 leitos e 10 internados, a Unimed com 30 leitos e 28 internados e o Hospital Regional com 83 leitos e 90 internados.

Além disso, o Hospital Universitário está com nove leitos e nove pessoas internadas e a Clínica Campo Grande com 10 leitos e 10 ocupantes.

Assine o Correio do Estado.