Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Hospitais de Campo Grande mudam modo de funcionamento para evitar disseminação do coronavírus

Estado já tem quatro casos confirmados
17/03/2020 08:30 - Fábio Oruê


Com quatro casos confirmados e 33 em investigação em Mato Grosso do Sul, os hospitais públicos e privados de Campo Grande começaram a mudar seus modos de funcionamento e horários para evitar tanto a entrada do coronavírus quando a sua disseminação no ambiente hospitalar. 

Conforme informação divulgada, a Santa Casa restringiu, desde ontem (16), as visitas e a permanência de acompanhantes nas dependências do hospital. O Comitê Interno de Enfrentamento ao COVID-19, instituído no hospital no mês de janeiro, para reorganizar o fluxo da assistência e protocolos de segurança hospitalar. A principal mudança neste momento é em relação a circulação de pessoas dentro do hospital.

Para os visitantes, por medida de segurança, será permitida a entrada de uma pessoa por paciente, por dia, durante 30 minutos - sem revezamento, com acesso restrito e seguindo orientações do Ministério da Saúde sobre o grupo de risco estabelecido. Os pacientes que estão com acompanhante não terão visita autorizada.

Nas áreas verde e vermelha do pronto-socorro e no prontomed as visitas estão suspensas.

Seguindo recomendação do Ministério de Saúde, a entrada não é autorizada para menores de 12 anos, acompanhantes ou visitantes com sintomas respiratórios ou do grupo de risco do Covid-19 (idosos, cardíacos, diabéticos, hipertensos, imunossuprimidos, entre outros). 

Além disso, outra medida de emergência foi a suspensão imediata dos estágios, cursos e do internato de medicina realizados na Instituição por meio da Escola de Saúde Santa Casa e da suspensão das visitas ampliadas, religiosas e de humanização.

No hospital da Unimed, segundo a assessoria não há restrição para visitantes, mas, em nota, informaram que “o hospital e toda a sua  equipe está preparado e estruturado para atender casos de pacientes com suspeita da doença e os que venham necessitar de isolamento, de modo a evitar a propagação do vírus no ambiente hospitalar”.

O Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap/MS) informou que os responsáveis pela unidade estavam reunidos para definir as estratégias a serem tomadas nas visitas hospitalares, mas que já há um enfrentamento para impedir a transmissão do coronavírus, como mesas abastecidas com álcool em gel e corpo clínico de atendimento sempre com máscaras. 

Hospital Regional de Mato Grosso do Sul também não informou se há restrição de pessoas dentro da unidade, mas que o Comitê Operativo de Emergência Coronavírus HRMS se reúne ordinariamente a cada 24 horas a fim de tomar medidas que a situação de pandemia requer.

O hospital da Cassems informou que, a partir de hoje (17), por medida de segurança, as visitas de visitantes e acompanhantes aos pacientes internados também serão alterados. Somente será permitida a entrada de um visitante por paciente, sem revezamento, durante 30 minutos. As visitas serão às 11h na Unidade de Terapia Intensiva Geral (UTI) e Cárdio; às 13h nos leitos de internação 5º e 6º andar; e às 15h na internação do 4º andar e UTI pediátrica. 

Para acompanhantes - para pacientes acamados menores de 17 anos e maiores de 60 - será permitida a entrada de apenas de um acompanhante por paciente.  A empresa reitera que a equipe de enfermagem irá liberar o acompanhante de acordo com a necessidade do paciente. Os atuais horários de visita para internação das 15h e 20h serão divididos da seguinte maneira: 10h na UTI Geral e Cárdio; 14h internação 4º andar e UTI pediátrica; e 14h e 20h internação 4º, 5º, 6º andar e UTI pediátrica.  

 Da mesma forma que a Santa Casa, o hospital da Cassems informou que a entrada não é autorizada para menores de 12 anos, acompanhantes ou visitantes com sintomas gripais ou do grupo de risco.

*Matéria alterada às 15h56 para acréscimo da resposta da Cassems

 

 

 

 

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.