Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

LEITOS DE UTI

Hospital Regional atinge ocupação de 69% dos leitos; Campo Grande soma 73%

Números foram fechados nesta manhã de sábado pela Secretaria Municipal de Saúde Pública
22/08/2020 13:50 - Nyelder Rodrigues


Após registrar problemas como superlotação de hospitais e ficar próximo do limite, Campo Grande agora passa por uma queda dos números de ocupação hospitalar, com 73% das vagas em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para pacientes em geral ocupadas. No Hospital Regional, referência em covid-19, a taxa atual é de 69%.

Os números constam no censo hospitalar da Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau), fechado nesta manhã de sábado (22) - o documento é atualizado todos os dias, pelo menos três vezes, com os dados da manhã, tarde e noite.

Dos 312 leitos de UTI globais disponíveis na cidade, 259 são em hospitais públicos, 31 em hospitais privados e disponíveis ao Sistema Único de Saúde (SUS) e 22 são leitos privados contratualizados diretamente com a prefeitura.

Desses, 200 pacientes estão em hospitais públicos (ocupação de 77%), enquanto 27 estão em leitos privados abertos ao SUS (ocupação de 78%). Esses 227 pacientes são a soma total de internados atualmente na cidade - contudo, os leitos contratados diretamente pela Sesau fazem a taxa de ocupação bater os 73%.

Todas as vagas disponíveis no Hospital Universitário estão ocupadas, enquanto no Pênfigo a taxa de ocupação é de 94%, seguido por 85% da Santa Casa, 70% da Clínica Campo Grande, 64% do Hospital do Câncer, 29% do El Kadri e 15% do Proncor.

O Hospital Regional, referência no tratamento da covid-19 e que conta com 118 leitos de UTI, possui atualmente taxa de ocupação de 69%, com 82 pessoas internadas. A título de comparação, a Santa Casa, referência na traumatologia e recebimento de pacientes sem covid-19, possuía 87 vagas, com 74 delas ocupadas nesta manhã.

 

Felpuda


Figurinha cuja eleição estava sub judice trabalha intensamente para ter a votação legalizada. Isso acontecendo, garante uma das cadeiras de vereador. Assim, quem hoje foi proclamado eleito vai para a fila da suplência.

Caso isso ocorra, a figurinha que corre o risco não deverá ficar desamparada, pois deixou secretaria municipal para disputar as eleições e poderá ter a cadeira de volta em 2021. Agora, resta esperar para ver onde vai parar.