Cidades

Cidades

Hyundai revela nome do seu primeiro nacional

Hyundai revela nome do seu primeiro nacional

Continue lendo...

A Hyundai revelou nesta quinta-feira seus ambiciosos planos para o Brasil. A montadora coreana está finalizando os testes de produção da sua primeira fábrica no País, na cidade de Piracicaba, no interior de São Paulo. Com capacidade para pelo menos 150 mil veículos produzidos por ano, a planta montará três modelos a partir de setembro, um hatch, um sedã e um crossover, todos eles de porte compacto. Ou seja, o primeiro brigará com Gol e Palio, o sedã com Siena, Voyage, entre outros, o “jipinho”, com EcoSport e Duster.

O primeiro a chegar será o HB20, nome de batismo do hatch pequeno, que terá motores 1.0 e 1.6 ambos flex – a Hyundai mantém o mistério, mas é certo que se tratam dos mesmos propulsores que equipam o Picanto e o Soul, da marca irmã Kia. O visual também é guardado a sete chaves. A marca mostrou um exemplar final para os jornalistas mas não pudemos fotografá-lo, apenas as unidades camufladas e alguns detalhes liberados.

A nomenclatura fugiu do conhecido “i” minúsculo seguido de números de outros modelos. Isso porque o HB20 foi desenhado com exclusividade para nosso mercado “mas poderá ser vendido na América do Sul caso faça sucesso e tenhamos volume de produção para isso”, disse o presidente da Hyundai no Brasil, Chang Kyun Han.

Serão três versões disponíveis a partir de outubro: 1.0 manual, 1.6 manual e 1.6 automático. Os preços devem ficar próximos dos praticados pela Volkswagen no Gol, ou seja, em torno de R$ 28 mil na versão popular. Tanto o hatch como os outros membros da família serão vendidos numa nova rede de concessionárias que a Hyundai abrirá de maneira de independente da atual, cuja gestão é feita pelo grupo CAOA, que continuará responsável pelos veículos importados e montados em regime de CKD em Goiás.

Duas redes de lojas independentes

O arranjo causou estranheza durante a coletiva de imprensa, afinal o cliente da Hyundai não saberá distinguir qual loja vende o que. A situação não preocupa a direção da empresa no Brasil que não dá prazo para uma unificação da rede. “Nós respeitamos contratos”, explicou Kyun Chan. O presidente da marca se referia ao fato de a CAOA ter um acordo que impede que a montadora assuma toda a operação no país. Apesar de negar qualquer rompimento, iG apurou que a médio prazo a Hyundai deverá ter controle total das vendas em nosso mercado.

A nova rede, que contará com 130 pontos de vendas no Brasil, a maior parte deles em dez capitais, será formada por distribuidores hoje ligados a marcas concorrentes. Segundo os executivos da montadora, boa parte deve trocar de “bandeira” quando o HB20 for lançado. O cronograma prevê a apresentação do hatch à imprensa entre os dias 11 e 12 de setembro, a chegada das primeiras unidades de demonstração às concessionárias nas semanas seguintes e as primeiras vendas em meados de outubro. A marca espera vender 25 mil unidades até o final do ano.

Rival para o EcoSport e para o Siena

Depois do HB20 será a vez do público conhecer a versão jipinho da família, que será apresentada pela primeira vez no Salão do Automóvel, no final de outubro. Seu lançamento está marcado para o início de 2013. Por fim, em março do ano que vem a Hyundai começará as vendas do sedã, que terá um visual parecido com o do Elantra.

Se conseguir cumprir com sua meta de vendas (de 150 mil veículos em 2013), a Hyundai se aproximará da Ford e deixará para trás a Renault. Uma coisa é certa, o HB20 é um automóvel capaz de seduzir muita gente que hoje está a bordo de seus futuros rivais. Seu desenho é primoroso e o interior tem um padrão de qualidade acima da concorrência, como iG pode conferir no primeiro test-drive feito com o hatch produzido no Brasil. Mas isso é assunto para nossa matéria especial que será publicada nesta sexta-feira. Confiram.

Mercado online

Polícia acaba com esquema que desviava mercadorias compradas on-line

O esquema contava com participação de funcionários que desviavam compras feitas online; apenas uma funcionária furtou um total de R$ 10 mil no último mês

15/07/2024 17h20

Continue Lendo...

Funcionários de uma transportadora de entrega de produtos adquiridos pela internet, foram presos pelo desvio de mercadorias. Somente em junho "a mão leve" levou o equivalente a R$ 10 mil. 

A atividade do grupo foi encerrada na manhã desta segunda-feira (15), quando agentes da 2º Delegacia de Polícia prendeu o grupo de funcionários que agiam tanto em Campo Grande quanto no interior do Estado.

O levantamento das investigações indicou que os funcionários usavam o sistema da transportadora e davam baixa (marcando como se a mercadoria fosse entregue) nos produtos que terminavam desviando. O grupo tinha preferência pelas seguintes mercadorias:

  • Joias
  • Celulares
  • Roupas
  • Perfumaria
  • Itens alimentícios, entre outros.

Além disso, o foco dos criminosos estavam em produtos destinados a outros estados e por alguma inconsistência do sistema terminavam no depósito da empresa na Capital. Como ficavam meses sem destino o grupo acabava ludibriando o sistema e ficando com a encomenda. 

Conforme divulgado pela Policia Civil, uma das funcionárias que participava do esquema confessou que desviou aparelhos celulares e joias revendidas de joalherias de marcas conhecidas que por fim terminaram sendo derretidas.

Apenas essa funcionária desviou um total de R$ 10 mil reais em furtos referentes ao mês de junho. No sistema ela ainda repassava os valores das notas fiscais por metade do preço. 

Os agentes seguem com a investigação para recuperar os objetos furtados. Como não houve flagrante da ação criminosa alguns dos envolvidos seguem soltos para responder ao processo em liberdade.

Com relação a transportadora os suspeitos tiveram o  contrato de trabalho rescindido.

Assine o Correio do Estado

 

Estelionato

Mulher alega dívida em jogo do Tigrinho, pede cartão a idoso e saca R$ 100 mil

Ao relatar aos policiais, o idoso disse que a mulher pediu ajuda porque precisava sacar dinheiro do jogo, afirmando que estava sem o aplicativo do banco

15/07/2024 17h00

Imagem ilustração

Imagem ilustração Reprodução/

Continue Lendo...

Um idoso de 66 anos procurou a polícia nesta segunda-feira (15) após ser vítima de estelionato em Campo Grande. De acordo com a polícia, a vítima estaria devendo quase R$ 100 mil em empréstimos bancários feitos por outra pessoa, que foram utilizados para jogos de cassino online sem sua permissão.

Conforme informações do boletim de ocorrência, o idoso relatou que a vizinha de 27 anos pediu o cartão emprestado, alegando estar com problemas no aplicativo bancário e precisando sacar dinheiro que havia ganhado no jogo do Tigrinho, conhecido popularmente como jogo de cassino online. 

Como a jovem morava no local há três anos, o idoso disse à polícia que confiou nela e resolveu emprestar seu cartão bancário. Em depoimento, o idoso afirmou que descobriu o estelionato depois que sua filha verificou o extrato bancário e encontrou um saque de R$ 7 mil.

Em depoimento à polícia, a filha do idoso disse que foi até a residência da mulher para tirar satisfações sobre o saque, mas foi surpreendida ao descobrir que a suspeita não estava mais morando no local.

Preocupados com o alto valor sacado, o idoso e sua filha foram até a Polícia Civil registrar a ocorrência por estelionato contra idoso. De acordo com a polícia, há câmeras de segurança em locais onde a mulher teria sacado o dinheiro, o que pode ajudar na identificação da suspeita.

 

Assine o Correio do Estado 

 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).