Clique aqui e veja as últimas notícias!

MEIO AMBIENTE

Imasul diz que baixa do rio Sucuri é causada por usina hidrelétrica; empresa nega acusações

morador da Estância JS gravou um vídeo onde mostra a situação do rio, nível da água recuou cerca de 50 metros
06/01/2021 13:03 - Gabrielle Tavares


Moradores de Três Lagoas estão preocupados com a situação do rio Sucuri, o nível da água baixou consideravelmente e praticamente secou a prainha do balneário local. O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul afirmou é culpa da usina Jupiá, mas empresa responsabiliza estiagem.

Um morador da Estãncia JS gravou um vídeo onde mostra a situação do rio. Com a seca, os tablados ficaram totalmente aparentes, o nível da água recuou cerca de 50 metros.

Últimas notícias

“A praia do balneário sumiu, desapareceu. Lá no meio onde a gente andava de barco agora estão empurrando o barco no braço. A água do rio está sumindo, desaparecendo”, lamentou.

Procurado pela Reportagem, o Imasul disse que neste caso a responsabilidade é o Ibama, já que o impacto é em consequência do reservatório de uma usina localizada entre dois estados, e que o licenciamento desse empreendimento é de competência federal.

“O Imasul acompanha a situação e vai encaminhar um ofício à superintendência do Ibama em Mato Grosso do Sul, Agência Nacional de Águas (ANA) e O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) alertando sobre a situação e solicitando as providências cabíveis”.

A empresa que o Imasul cita é a CTG Brasil responsável pela Usina Jupiá, presente no município. A empresa negou, em nota, sua responsabilidade e disse que não houve vertimento recente na usina e que seu reservatório está dentro da faixa de operação autorizada pelos órgãos ambientais e regulatórios.

“A Empresa ressalta ainda que a operação da Usina Jupiá e de todas as usinas hidrelétricas do País é coordenada pelo ONS, tanto no que se refere à geração de energia quanto ao controle do nível dos reservatórios”.

A empresa ainda afirmou que a seca no rio é consequência da forte estiagem evidenciada nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, e que “ações que consideram variações dos níveis dentro de toda a faixa de operação em reservatórios “fio d´água”, como é o caso da UHE Jupiá, têm sido implementadas pelo ONS”, concluiu.

Confira o vídeo: