Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SUGERE ESTUDO

MS teria 'imunidade de rebanho' com 489 mil infectados

Pesquisadores alertam que resultados não eliminam isolamento social
28/07/2020 06:00 - Ricardo Campos Jr


Pesquisa feita com base em modelos matemáticos e dados reais da Covid-19 em países europeus sugere que a imunidade de rebanho da doença poderia ser alcançada quando uma parcela entre 10% e 20% da população for infectada. 

Isso quer dizer que em Mato Grosso do Sul são necessários 489.800 mil cidadãos positivos para que a proteção coletiva seja alcançada. Em Campo Grande seriam 179 mil. 

Esse cenário implica em um controle maior da contaminação pelo novo coronavírus, de modo que quando essa faixa for alcançada, a quantidade de casos novos tenderia a cair diariamente, mesmo com o comércio aberto e as medidas de isolamento reduzidas (gradativamente), por exemplo.

Os cientistas responsáveis pelo artigo, que ainda não foi revisado pelos pares, alertam que a projeção não anula ou contradiz a necessidade do isolamento social. Além disso, não adianta se expor voluntariamente à Covid-19 para acelerar o processo.

Isso porque o cálculo leva em conta que cada um já está lidando com a presença da doença de uma maneira diferente. Alguns se isolaram, outros saem de casa com pouca frequência e há quem circule diariamente pela impossibilidade de trabalhar em home office. Com isso, nem todos infectados contaminariam uma mesma quantidade de pessoas. 

Além disso, existem questões biológicas, como genética, nutrição e imunidade. 

Reduzir a quantidade de pessoas nas ruas ainda é necessário especialmente para evitar que haja muita gente doente precisando de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ao mesmo tempo.

A pesquisa ajudaria o poder público a enfrentar melhor o cenário e decidir quais os melhores momentos de afrouxarem a quarentena e como fazerem isso. 

 
 

ESTUDO DE CASO

O modelo matemático tem colaboração de cientistas do Brasil, Portugal e Reino Unido. Quanto maior o grau de heterogeneidade da população, mais baixo é o limite para a imunidade de rebanho.

A pesquisa foi conduzida com base em dados da Bélgica, Inglaterra, Espanha e Portugal. Em breve serão estudados os números do Brasil e Estados Unidos. Embora cada uma dessas nações tenha coeficientes de contágio diferentes, a proteção coletiva foi alcançada com 10% a 20% de contaminação.

Um alerta: caso as medidas de isolamento sejam afrouxadas antes dessa imunidade de rebanho, é possível que os números voltem a subir. O mesmo pode acontecer se a quarentena acabar do dia para a noite. O ideal é que a reabertura do comércio, volta às aulas e demais retomadas sejam feitas escalonadamente.

EXEMPLOS CONCRETOS

Na região norte de Portugal, por exemplo, o coronavírus chegou primeiro. Hoje, o comércio está reaberto, a vida começa a voltar à normalidade e a quantidade de casos está em queda. Já no sul, a tendência é de altas seguidas.

E não é preciso cruzar o oceano para enxergar exemplos que reforcem essa estatística. Em Manaus, o pico da curva epidêmica foi alcançado em maio. Atualmente as escolas e comércio estão reabrindo aos poucos, enquanto o gráfico está descendente.

Na região sul, por outro lado, o isolamento começou a recuar com baixo porcentual de infecção. Agora, as atividades estão sendo retomadas e a quantidade de casos está crescendo.

NÚMEROS

Mato Grosso do Sul registrou nesta segunda-feira total de 21.802 casos confirmados da Covid. Campo Grande soma 8.579, dos quais 152 entraram na lista hoje.

 

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!