Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DIVERGÊNCIA

Inauguração conjunta de leitos no Pênfigo mostra Prefeitura e estado com opiniões diferentes

Prefeito vê doença estabilizada, enquanto Secretário Estadual de Saúde fala em ascensão do número de caso e preocupação
10/08/2020 12:53 - Gabrielle Tavares, Rodrigo Almeida


Apesar de colaboração entra prefeitura e Governo do Estado na aplicação da oferta de Leitos na Capital, a porta-vozes das duas esferas do executivo ainda veem o momento da pandemia em Campo Grande de forma bem diferente. 

Na manhã desta segunda-feira, 10, foi formalizada a entrega de 10 leitos no hospital do Pênfigo. O secretário Estadual de Saúde (SES), Geraldo Resende, comemorou a entrega dizendo que “se estivéssemos na mesma situação de 30 dias atrás seguramente o sistema estaria em colapso”.

Ele reafirma a colaboração com a gestão municipal, “estamos sendo ágeis na construção de novos leitos”, mas tem ressalvas a fazer no entendimento do momento que Campo Grande se encontra. 

O prefeito Marcos Trad (PSD) discorda e pensa que a cidade está estável. “Nunca saiu sequer uma vírgula do controle da Prefeitura a situação do novo coronavírus de Campo Grande. Pelo contrário, temos leitos sobrando. Não morreu, não está morrendo e não vai morrer nenhum ser humano que necessite de UTI nesta cidade”.

Há uma preocupação da SES com relação a Campo Grande. “A Capital garante que está em platô, o que não é a visão da SES. Estamos numa curva ascendente, e não temos dados nenhum que nos possa levar a pensar em estabilização”, sentencia Geraldo.

O secretário cita a colaboração de diversos especialistas, como o Pesquisador da Fiocruz Júlio Croda, dra. Mariana Croda e pessoas da Escola de Saúde Pública da Opas, técnicos do estado de saúde corroboram para os dados de aumentos de casos. 

Em relação à afirmação de que estes são os últimos leitos que o estado tem condição de ampliar, o prefeito assegurou que os eles terão equipe médica capacitada, “não adianta ganhar um carro e não ter um motorista para dirigir”.

Ele ainda afirma que na próxima semana serão instaladas mais unidades. Na próxima semana, serão entregues neste hospital 30 leitos. Vão ser para o Pênfigo e mais 10 de Hospital Regional. 

Sobre uma possível intervenção da justiça na ação movida pela Defensoria Pública, que foi realizada na última sexta-feira, 7, o prefeito estranha os motivos. “Intervir numa cidade com a menor taxa de letalidade do país, onde 1,3 pessoa internada morrer por covid-19 morre, é no mínimo estranho”, argumenta. 

 
 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!