Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MEDIDAS DE ISOLAMENTO

Início do toque de recolher pode voltar para às 20h em Campo Grande

Desrespeito levou prefeito a cogitar medida
11/04/2020 18:00 - Fábio Oruê


 

Diante do grande número de ocorrências após às 22h - quando se inicia o toque de recolher em Campo Grande -, o prefeito Marcos Trad (PSD), cogitou, em transmissão ao vivo pelo Facebook, na tarde de hoje (11), voltar o toque de recolher para às 20h no município como medida para evitar a disseminação do coronavírus. 

“Ocorrências que nos desagrada e acima de tudo coloca em risco a sua própria vida e a vida dos que estão próximos à você”, disse Trad. Ele anunciou que a prefeitura irá monitorar o período do toque de recolher pelos próximos três dias e se a “desobediência” continuar, o horário de início da ação será mais cedo. 

A Guarda Civil Metropolitana (GCM) de Campo Grande abordou 142 pessoas nas ruas durante o toque de recolher, das 22h de sexta-feira (10) até as 5h deste sábado (11). O número de abordagens é mais do que o dobro da operação de quinta a sexta, quando os agentes orientaram 52 cidadãos a voltar para casa.

Foram aconselhados a fechar as portas 35 donos de estabelecimentos, quatro a mais em relação aos dias anteriores. No trânsito, 42 motoristas foram abordados e cinco foram multados, sendo três por não serem habilitados e dois por estarem com a documentação do veículo vencida.

COMÉRCIO 

Prefeito também comentou sobre o funcionamento do comércio e supermercados na cidade e reclamou sobre a população. “O que mais me impressiona é que embora eles [comércio] tenham demarcados seus espaços, embora que tenham álcool em gel, embora que seus funcionários tenham máscaras, embora alguns deles estão aferindo a temperatura das pessoas que entram nos locais, a população em sua grande parte tem desrespeitado até as marcações”, reclamou ele. 

Ele descreveu que as pessoas não estão respeitando as medidas recomendadas como espaçamentos nos estabelecimentos e saindo em grupos - ou com a família - e não sozinhos. 

 

Felpuda


Na troca de alfinetadas entre partidos que não se entenderam até agora sobre eventual aliança, uma outra peça está surgindo: trata-se do levantamento completo sobre investimentos feitos, recursos liberados, parcerias em todas as áreas, além do prazo de quando tudo isso começou. Caso os palanques venham a ficar distanciados, a divulgação será feita à exaustão durante a campanha eleitoral, para mostrar quem é quem na história. Os bombeiros continuam atuando.